Voltar ao início Voltar ao topo

Relatório Anual 2015

  • Compartilhe:
  1. A+
  2. A-

Mensagem da
Administração GRI G4-1

Em 2015, o ritmo de crescimento da economia global foi menos intenso do que se antecipava no início do ano, com importantes diferenças entre as principais regiões. Nos Estados Unidos, o Federal Reserve (Banco Central) elevou, em dezembro, a taxa básica de juros para o intervalo 0,25-0,50% a.a., que vinha se mantendo estável no intervalo 0-0,25% a.a. desde dezembro de 2008. Na Europa, a atividade econômica vem respondendo positivamente aos estímulos monetários promovidos pelo Banco Central Europeu. Nos mercados emergentes, especialmente na América Latina, incertezas quanto ao ritmo da desaceleração da economia chinesa impactaram diretamente a atividade econômica, cujas exportações são concentradas em commodities.

Na economia brasileira, o ano de 2015 foi caracterizado por ajustes, em especial nos planos fiscal e monetário, com efeitos adversos sobre a atividade econômica. O desaquecimento do mercado de trabalho, a queda do nível de confiança dos agentes, o alto nível de estoques e a desaceleração no mercado de crédito foram elementos que compuseram o quadro econômico mais desafiador. Mesmo diante do ambiente recessivo, a inflação ao consumidor manteve-se pressionada, principalmente em função de reajustes de preços administrados e também pela desvalorização do real. Adicionalmente, as expectativas inflacionárias mantiveram-se desancoradas do centro da meta. Assim, o Banco Central (Bacen) deu continuidade ao ciclo de ajuste da Taxa Básica de Juros (Selic) ao longo do ano, estabilizando-a em 14,25% a.a.

Mesmo diante de uma conjuntura econômica mais desafiadora, obtivemos resultados positivos. O lucro líquido chegou a R$ 14,4 bilhões, incorporando acréscimo de 28% em relação a 2014. Já o lucro líquido ajustado, que exclui os efeitos de itens extraordinários, somou R$ 11,6 bilhões, resultado 2,2% superior ao de 2014. O retorno sobre o patrimônio líquido foi de 13% ao ano. A remuneração aos acionistas atingiu R$ 5,7 bilhões, com lucro líquido por ação de R$ 5,05 ao ano. Nossos ativos totais chegaram a R$ 1,6 trilhão em dezembro de 2015, com aumento de 10,2% em relação a dezembro de 2014. Já os índices de inadimplência mantiveram-se abaixo da média do Sistema Financeiro Nacional (SFN), e a carteira de crédito ampliada aumentou 6,9%, totalizando R$ 814,8 bilhões.

Temos um papel preponderante no crédito ao agronegócio brasileiro, com 60,9% de participação no mercado. Essa carteira cresceu 6,1% no ano, somando R$ 174,9 bilhões, o que representa 21,5% de nossa carteira total no período. No segmento de gestão de recursos de terceiros, a BB DTVM é líder na indústria nacional de fundos de investimento desde 1994 e somava R$ 603,2 bilhões em recursos de terceiros administrados no fim de 2015, valor que corresponde a 21,5% do mercado.

A consistência e a solidez que nos tornaram uma das instituições mais respeitadas do mercado juntam-se à inovação para manter a excelência no atendimento aos clientes e no relacionamento com nossos parceiros. Durante o ano, várias iniciativas buscaram aperfeiçoar a experiência do cliente e a efetividade das operações. Em março, lançamos um aplicativo que permite realizar compras pelo celular, substituindo o cartão como forma de pagamento. Fomos responsáveis por uma inovação tecnológica inédita no Brasil: somos o único banco que disponibiliza a contratação de financiamentos de veículos pelo canal mobile.

Nossos constantes esforços para a melhoria da eficiência operacional permitiram alcançar conquistas importantes, como a queda de 86% no número de fraudes com cartões, com a substituição dos plásticos e o envio de SMS aos clientes no momento da compra. Em dezembro, também atingimos a marca de sete meses seguidos fora da lista dos cinco bancos com maior número de reclamações no ranking do Bacen, uma mostra de que os esforços para aprimorar o atendimento têm sido efetivos.

Em termos de gestão do atendimento aos clientes, duas novidades promissoras para aprimorar nossas operações são a nova Estratégia de Varejo BB, que, entre várias soluções de atendimento, disponibilizou aos clientes Estilo o modelo de relacionamento Estilo Digital, atingindo cerca de 360 mil clientes, que agora podem utilizar uma das 104 unidades Estilo Digital inauguradas durante o ano, e a Estratégia Elos Produtivos, destinada a intensificar operações de crédito a partir de empresas líderes de cadeias de valor e empresas relacionadas.

No que se refere aos processos de segurança institucional, destaca-se a capacitação de 768 administradores e representantes de órgãos regionais que receberam orientações sobre os processos relacionados ao tema. Os encontros, realizados em 12 estados, abordaram os temas Prevenção e combate à lavagem de dinheiro e ao financiamento do terrorismo; Segurança da informação; Gestão de continuidade dos negócios; e Prevenção a assaltos e sequestros.

Como resultado da nossa atuação em responsabilidade socioambiental (RSA) alinhada às melhores práticas de mercado, ressaltamos nossa listagem, pelo quarto ano consecutivo, no Índice Dow Jones de Sustentabilidade (DJSI, na sigla em inglês), e a permanência no Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) da BM&FBOVESPA pela décima primeira vez.

Fomos ainda reconhecidos como um dos oito bancos mais sustentáveis do mundo no livro The Sustainability Yearbook, da RobecoSAM, e alcançamos o melhor desempenho socioambiental corporativo do sistema financeiro da América Latina no Green Ranking 2015, divulgado pela revista norte-americana Newsweek.

Em relação aos negócios sociais, foram formalizados 129.670 contratos do Fundo de Financiamento Estudantil (FIES), no montante de R$ 6,5 bilhões, e a contratação de 12.644 operações no BB Crédito Acessibilidade, que desde o seu lançamento, em 2012, já atendeu a mais de 29 mil pessoas.

Destaque também para a atuação dos nossos funcionários em projetos sociais, atingindo a marca de 26 mil funcionários cadastrados no Portal do Voluntariado BB. Foram selecionados, por meio do projeto Voluntários BB, 167 projetos de entidades sociais no valor total de R$ 6,9 milhões, para apoio financeiro em iniciativas voltadas à geração de trabalho e renda e de cuidado ambiental, que contam com a atuação de nossos voluntários.

Encerramos a primeira fase do Programa Água Brasil (2010-2015), iniciativa em parceria com a Agência Nacional de Águas (ANA), a organização WWF-Brasil e a Fundação Banco do Brasil (FBB). Nos primeiros cinco anos da parceria, investimos, em conjunto com a FBB, mais de R$ 54 milhões em projetos voltados para a melhoria da qualidade e da oferta de água, a ampliação da cobertura da vegetação natural em sete microbacias hidrográficas – com mais de um milhão de mudas plantadas – o estímulo ao consumo responsável e o tratamento adequado dos resíduos sólidos em cinco municípios brasileiros.

Nossa missão de ser um “Banco de Mercado com o Espírito Público” também norteia várias ações que envolvem todos os aspectos da sustentabilidade. Em sintonia com a Agenda 21 Global, a Agenda 21 BB, nosso plano de sustentabilidade, garante a adoção de critérios socioambientais em processos, práticas e negócios. Em 2016, realizaremos pela sexta vez a atualização da Agenda 21, que passará a se chamar Agenda 30 BB, em alinhamento à nova agenda global para o desenvolvimento sustentável promovida pela Organização das Nações Unidas (ONU). Para tanto, será realizada ampla discussão, envolvendo stakeholders e colaboradores, para definir, a partir de uma série de encontros, as prioridades para o período 2017-2019 nesse tema, alinhadas aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, definidos no documento intitulado Transformando Nosso Mundo: a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, da ONU. Ressaltamos ainda o nosso envolvimento integral com uma série de compromissos voluntários adotados, tais como os 10 Princípios do Pacto Global, Princípios do Equador, Princípios para o Investimento Responsável e as Diretrizes da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) para as empresas multinacionais.

As megatendências globais que trazem riscos e oportunidades emergentes e que afetam a vida das pessoas e os negócios também são consideradas em nossa estratégia, nossa revisão de objetivos, nossas metas e nossa visão de futuro. Diante desse cenário, mantivemos as parcerias e renovamos o programa Água Brasil para os próximos cinco anos, com foco em iniciativas inovadoras em gestão de recursos hídricos e no desenvolvimento de modelos de negócios voltados para o fomento da economia verde. Em 2016, continuaremos trabalhando para preservar o saudável equilíbrio entre manter a empresa viável economicamente e atraente para os acionistas e o compromisso com o desenvolvimento do Brasil, alavancando os segmentos econômicos essenciais para a nação. O alcance efetivo desses objetivos estratégicos só é permitido devido ao comprometimento e protagonismo dos nossos colaboradores, que se identificam com a essência da nossa Organização e transformam os desafios em oportunidades de melhoria e inovação.

Agradecemos aos mais de 109 mil funcionários pelo empenho e aos mais de 61 milhões de clientes pela confiança, atributos essenciais para os bons resultados alcançados. Nosso compromisso é o de gerar valor para esses públicos e também para investidores, fornecedores e sociedade, criando um círculo virtuoso que nos permita contribuir para o desenvolvimento do País e de seu povo.


Alexandre Corrêa Abreu
Presidente do Banco do Brasil

Manoel Carlos de Castro Pires
Presidente do Conselho de Administração

Atenção!

Você está utilizando uma versão antiga do navegador:

.

Este site pode apresentar erros e distorções por não ser compatível com essa versão do .

Atualize seu navegador ou, se não deseja atualizar seu navegador agora, clique em Continuar.


Continuar Atualizar meu navegador