Conexão
Comunidade

GRI EC8 | SO1

Reconhecendo seu papel como agente de transformação social, o Banco do Brasil atua buscando contribuir de forma efetiva para a geração de riqueza e renda e para o desenvolvimento do País em bases sustentáveis.

A atuação do BB com as comunidades é definida a partir de estratégia que tem como base o alcance de finalidades sociais em consonância com as prioridades de Estado, com as expectativas das comunidades envolvidas e dos demais stakeholders do BB, além de alinhadas com os objetivos negociais da Empresa.



Divulgação FBB




Os resultados do investimento social do BB e da Fundação Banco do Brasil são avaliados continuamente e divulgados publicamente, de forma objetiva e tempestiva. As doações e parcerias estabelecidas são definidas em conformidade com as políticas da Empresa, a partir de parâmetros previamente definidos, sendo vedados os repasses a organizações ou a iniciativas que possuam finalidade político-partidária.

Destaca-se em 2011 o incremento da atuação do Banco do Brasil com os negócios sociais, caracterizados como as iniciativas economicamente rentáveis que buscam soluções para problemas da sociedade, representando poderosa alavanca para o desenvolvimento do Brasil. Nesse âmbito, ressalta-se a atuação do BB com o MPO – Microcrédito Produtivo Orientado, com o programa Minha Casa Minha Vida, com o Fies – Fundo de Financiamento Estudantil, com o Pronaf – Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar, com a estratégia Desenvolvimento Regional Sustentável e com o Banco Postal (no capítulo Negócios essa atuação é detalhada).

Em relação às tradicionais práticas de investimento social, em 2011 destacam-se sob gestão do Banco do Brasil o Programa Voluntariado BB, que teve recorde no volume de recursos e quantidade de projetos apoiados, o Programa Aprendiz BB, o apoio às vitimas de calamidades climáticas e as ações de educação financeira. Quanto às ações desenvolvidas pela Fundação Banco do Brasil, destacam-se o fomento ao desenvolvimento e disseminação de tecnologias sociais e o Programa AABB Comunidade.

Ao somar as experiências com negócios sociais às tradicionais ações de investimento social, sejam elas realizadas diretamente pelo Banco do Brasil ou desenvolvidas pela Fundação Banco do Brasil, o Conglomerado Banco do Brasil revela possuir uma atuação integrada com relação ao tema.


Investimento Social Privado

Programa Aprendiz Banco do Brasil
Baseado na Lei da Aprendizagem, o Programa Aprendiz Banco do Brasil agrega diferenciais como a oferta de assistência médico-hospitalar e o Programa de Orientação Profissional. Para integrá-lo, o adolescente tem de ter entre 15 anos e 15 anos e dez meses, além de bom rendimento escolar, e estar cursando no mínimo a 8ª série do ensino fundamental no período diurno.

Em 2011, foram capacitados 5.551 adolescentes de baixa renda.
 

Programa Estágio de Estudantes
A iniciativa tem o objetivo de proporcionar o contato do estudante com a prática, de forma a complementar o processo de aprendizagem. Para ingressar no programa, os interessados têm de ter no mínimo 18 anos, estar matriculados e frequentando um curso regular de ensino médio ou superior e estar inscritos em pelo menos um dos agentes de integração conveniados. Aos participantes, o BB concede benefícios como bolsa-auxílio, auxílio-transporte, auxílio-alimentação e recesso remunerado.

No encerramento de 2011, 8.567 estagiários desenvolveram atividades curriculares nas dependências do BB.
 

Programa de Voluntariado

O Programa de Voluntariado
completou 10 anos e passa
por revitalização para ampliar
sua ação em prol do País


Em 2011 o Programa de Voluntariado do BB completou 10 anos e encontra-se em fase de revitalização, com a implementação de um conjunto de ações voltadas para aprimorar e ampliar sua atuação em prol do desenvolvimento do País, tendo como eixos principais: Comunicação e Capacitação, Reconhecimento e Apoio a Projeto e Gestão.

No eixo do reconhecimento, foram destinados recursos para apoiar projetos apresentados por voluntários, da ativa ou aposentados, possibilitando o atendimento a 134 projetos de entidades sociais, totalizando mais de R$ 9,6 milhões, entre recursos da Fundação Banco do Brasil e decorrentes da renúncia fiscal proveniente de doação aos Fundos da Infância e Adolescência.

Os projetos apoiados contribuem para a erradicação da extrema pobreza por meio da geração de trabalho e renda e da conservação e recuperação de recursos hídricos, cabendo aos voluntários a responsabilidade pelo monitoramento da aplicação dos recursos.

 

Projetos Voluntariado Banco do Brasil
 
UF Municipío Projeto Entidade  Valor FBB (R$)
AL Maceió Catando a Cidadania Cooprel – Cooperativas de Recicladores de Alagoas         70.000,00
AM Manaus Numiã – Kurá: Capacitação de Mulheres Indígenas da Amarn Associação das Mulheres Indígenas do Alto Rio Negro – Amarn         44.670,75
BA Itiúba Produção Agroecológica Integrada e Sustentável nas Comunidades do Açude de Jacurici Lar Santa Maria         185.553,96
Ituberá Costurando a Vida Associação Comunitária de Ituberá
Juazeiro Projeto Coleta de Óleo Residual e Fábrica de Sabão Ecológico Grupo de Apoio Social e Humanitário de Juazeiro – Gash
CE Fortaleza Capacitação de Jovens Empreendedores Cáritas Arquidiocesana de Fortaleza     176.098,60
Fortaleza Feiras Poti: Capacitação para Agricultores(as) Familiares e Estruturação das Feiras de Economia Solidária Cáritas Brasileira Regional Ceará
Maracanaú Tecendo o Amanhã Associação Beneficente do Alto Alegre
DF São Sebastião Costurando a Vida Associação dos moradores do Bairro Bela Vista         125.094,25
Sobradinho Esperança – Geração de Trabalho e Renda no Etorno do DF Instituto Alvorada de Agroecologia de Sobradinho
MG Abadia dos Dourados Amar Abadia Associação de Catadores de Materiais Recicláveis de Abadia dos Dourados – Amar         894.531,48
Divinópolis Educação Inclusiva Associação de Deficientes do Oeste de Minas – Adefom
Divinópolis Incentivo ao Associativismo, Geração de Emprego e Renda e Valorização da Agricultura Familiar Associação dos Pequenos Produtores da Agricultura Familiar de Divinópolis – Aprafad
Galileia Balde Cheio – Mais Qualidade Núcleo de Desenvolvimento da Qualidade de Vida do Vale do Rio Doce
Governador Valadares Estruturação do Centro de Referência e Capacitação Rural – Comunidades Sustentáveis em Tecnologias Sociais Comunidades Sustentáveis Associação Incubar
Ibirité Ibirité Orgânico – Desenvolver a Agricultura Orgânica/Biodinâmica para Agricultores Familiares no Município de Ibirité Sindicato de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Ibirité
Janaúba Asfap – Fazendo a Diferença na Geração de Emprego e Renda Associação Fraterna Amigos da Paz – Asfap
Mercês Programa de Incentivo ao Desenvolvimento Agroecológico PAA de Mercês e Região ONG Socioambiental Ecovida – Mercês
Minas Novas Convivendo com a Seca, Preservando o Meio Ambiente e Gerando Renda para os Agricultores Familiares de Minas Gerais Associação Comunitária de Promoção e Incentivo aos Grupos de Produção Alternativa de Minas Novas – Ascop
Montes Claros Projeto de Recuperação do Córrego Riacho D' Antas Associação Comunitária dos Pequenos Rurais de Riacho D' Antas e Adjacências
Montes Claros Recuperação e Preservação de Recursos Hídricos Associação dos Produtores de Hortigrangeiros da Região do Pentaurea
Paracatu Salve o Córrego Pobre Movimento Verde de Paracatu
Passos Amigo das Nascentes Instituto Social, Educacional e de Pesquisa de Minas Gerais – Isepem
Taiobeiras Proposta de Implantação do Centro de Reciclagem do Município de Taiobeiras Associação de Catadores de Materiais Recicláveis de Taiobeiras
Virginópolis Projeto Apicultura em Ação no Centro-Leste Mineiro Associação de Apicultores de Virginopólis Região – Apivir
MS Campo Grande Sala de Costura – Projeto ONG Caer ONG Projeto CAER ESEP     203.474,53
Campo Grande Artesanato – Oficina de Mosaico e Tecelagem em Tear Associação de Apoio a Pessoas Idosas e Pessoas Carentes em Geral Instituto Apic – MS
Campo Grande Tecendo Novos Caminhos Obras Sociais Caridade: O Caminho
Coxim Caminhos do Mel – Associação de Apicultores de Coxim (MS) Associação de Apicultores de Coxim – AAC
PB Conde Núcleo de Apoio Integral Cidade Viva – Conde (PB) Fundação Cidade Viva       130.733,90
João Pessoa Cozinha Verde: Transformando Orgânicos e Gerando Renda Associação Coletivo Popular de Saúde e Cultura de Mandacaru
PE Belém de São Francisco Do Lixão à Vassouraria: Transformação das Garrafas PET em Belém de São Francisco Associação dos Recicladores de Belém de São Francisco         46.830,00
PR Mandirituba Construção da Sede da Unidade Produtiva de Alimentos (mão de obra e engenharia civil). Associação Contra Fome e pela Moradia         138.230,00
Ubiratã Aquisição de Equipamentos para Marcenaria da Escola de Educação Especial Jesus Menino – Apae Associação de Pais e Amigos de Excepcionais
RJ Bom Jardim Recuperação do Lar para Idosos Frederico Meyer Lar para Idosos Frederico Meyer Ltda. 1.003.867,25
Nova Friburgo Recuperação da Casa Madre Roseli Institutição das Obras Sociais de Santa Doroteia – Casa Madre Roseli
Nova Friburgo Vida Nova – Reestruturação de Unidade de Produção Agrícola na Microbacia Barracão dos Mendes Associação Serra Velha dos Trabalhadores Rurais do Município de Nova Friburgo – RJ – ASVTR-NF
Nova Friburgo Aplicação Tecnologia Social – Fossas Sépticas Biodigestoras na Microbacia Barracão dos Mendes Associação Serra Velha dos Trabalhadores Rurais do Município de Nova Friburgo – RJ – ASVTR-NF
Nova Friburgo Recuperação das Atividades da Oficina-Escola de Nova Friburgo Associação de Pais e Amigos da Oficina-Escola
Nova Friburgo Recuperação do Casarão de Cultura de Riograndina Associação de Moradores e Amigos de Riograndina
Nova Friburgo Euterpe – "A mais Antiga Expressão Cultural de Nova Friburgo" Sociedade Musical Beneficente Euterpe Friburguense
Nova Friburgo Afape Socioeducacional 2011 Afape – Associação Friburguense de Amigos e Pais do Educando
Nova Friburgo Ambiente Escolar Seguro nas Escolas do Vale de Luz e Cecília Meireles Associação Crianças do Vale de Luz
Nova Iguaçu Sustentabilidade dos Catadores Cidadãos do Ponto Chic Associação Comitê Ponto Chic
Petrópolis Filhos da Terra Centro de Defesa dos Direitos Humanos de Petrópolis – Grupo Ação, Justiça e Paz
Rio de Janeiro Atitude Jovem Rio 2014/2016 Associação Humana Mente para a Capacitação e Inclusão de Jovens no Mercado de Trabalho Instituto Aprender Para Viver
Teresópolis Edição Extraordinária – Projeto Voluntários BB 2011 – ONG Círculo de Amigos da Infância e da Juventude de Teresópolis Círculo de Amigos da Infância e da Juventude de Teresópolis
RN Natal Projeto Novo Rumo Design Casa de Apoio à Criança com Câncer Durval Paiva         69.967,98
RS São Lourenço do Sul A Solidariedade Constrói uma Infância Feliz Apae – Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais         46.971,00
SC São Miguel do Oeste Reciclagem e Cidadania Associação de Coletores de Materiais Recicláveis       82.099,30
São Miguel do Oeste Alternativa para Treinamento de Secretárias do Lar Associação Migueloestina de Apoio às Pessoas Carentes – Amapec
SP Franca Aquisição de Veículo para Materiais Recicláveis Pastoral do Menor e Família da Diocese de Franca         252.628,71
Ribeirão Preto Projeto Talentos: A Arte de Descobrir Talentos Associação Programa de Mãos Estentidas
Botucatu Transformando o Ribeirão do Tijuco Preto – Recuperação com o Uso da Técnica de Jardins de Chuva Nascentes – Associação para a Preservação e Recuperação dos Recursos Hídricos e Florestais
Marília Projeto Pão da Vida Centro Comunitário São Judas Tadeu
TOTAL BRASIL   3.470.751,71

Projetos Fundo da Infância e da Adolescência
 
UF Município Projeto Entidade Valor  FIA (R$)
BA Catu Núcleo de Apoio e Atendimento à Familia Associação Comunitária Beneficente São Judas do Bom Viver 703.256,81
Jaguaquara Escola da Cidadania Associação dos Adolescentes, Jovens e Adultos do Distrito de Stela Dubois
Salvador Campeões do Futuro Associação Cultural Comunitária do Arenoso
Salvador Arte como Fonte de Conhecimento e Autoconhecimento Grupo de Mães e Amigos de Canabrava – GMAC
Salvador Convivendo com Arte Cultura na Capelinha Associação Comunitária e Cultural Stellagreice
Salvador Projeto Arte e Informática no Alagados III Associação de Moradores da Invasão Dom Avelar de Alagados III
Salvador Projeto Tambores de Santa Cruz (Construindo e Resgatando pela Música) Associação de Moradores e Amigos da Chapada do Rio Vermelho
Salvador A Arte de Transformar Clube de Mães e Creche Escola Comunitária Mundo Infantil
Valente Projeto Faça mais Bonito Combacin – Conselho de Moradores do Bairros Cidade Nova
Vitória da Conquista Ponto de Partida Projeto do Pequeno Ofício  Pastoral do Menor
Vitória da Conquista Brincando, Contando e Criando Pastoral do Menor da Paróquia Nossa Senhora das Graças
CE Crato Projeto Verde Vida Ações Culturais Povos Rurais 140.000,00
Viçosa do Ceará Projeto Sorriso de Esperança Centro Espírita "O Pobre de Deus"
GO Aragoiânia Um Raio de Sol no Meu Caminho Centro de Referência Raio de Sol 174.675,00
Campo Alegre de Goiás Futuro de Trabalho e Conquista Prefeitura Campo Alegre de Goiás
Goiânia Projeto Florescer Centro Espírita Irmão Áureo
MA Cururupu Projeto Pequenos Atores Grandes Cidadãos Associação Cultural Prenda de Cururupu 417.462,50
Paço do Lumiar Criança na Escola, Brinca Aprende e é Protegida Associação Beneficente dos Moradores do Porto de Mocajutuba, Sururutiu e Pedrinhas – Asbep
São Luís Palco das Letras Clube de Mães Mariana
São Luís Sementes de uma Nova Geração Instituto Pobres Servos da Divina Providência
São Luís Jovem Canto de Pedrinhas Fundação de Apoio ao Desenvolvimento da Universidade Federal do Maranhão – FSADU
São Luís Uma Luz para o Futuro Centro de Promoção da Vida de Crianças e Adolescentes – Pastoral do Menor
MG Alfenas Milho de Pipoca – Os Sete Passos em Busca dos Sonhos Serviço de Assistência e Recuperação do Adulto e da Criança – Sarai          1.095.402,71
Antônio Carlos Faça uma Criança Sorrir Escola de Menores São Vicente de Paulo         
Barbacena Escola da Cidadania (Pra Pagar de Boa) Fundação João XXIII de Amparo ao Menor         
Comercinho Ação que Transforma Associação Rural de Atendimento Infanto-juvenil Comercinho – Araic                                                  
Formiga Educar para a Vida Associação de Assistência aos Menores de Formiga – Patronato São Luiz           
Ibirité Garantir um Acolhimento de Acordo com o ECA às Crianças Acolhidas na Casa Abrigo Provisório São Francisco de Assis Centro de Libertação da Mulher Trabalhadora   
Lagoa Santa Tô Ligado no Turismo – agentes turísticos Conviver Saber Social                            
Montes Claros "Diversa Idade" – Cidadania e Sexualidade LGBT na adolescência Movimento Gay dos Gerais
Montes Claros Projeto Aprendendo a Aprender Lar Nossa Senhora do Perpétuo Socorro
Montes Claros Oficinas da Pastoral Pastoral do menor São João Batista, Arquidiocese de Montes Claros
Montes Claros Tecendo Redes Contra a Exploração Sexual Infanto-Juvenil Fundação Fé e Alegria do Brasil
Montes Claros Solidariedade II Centro da Criança e do Adolescente Paula Elizabete
Novo Cruzeiro Diagnóstico Social da Realidade da Criança e do Adolescente no Município de Novo Cruzeiro (MG) Associação Comunidade Bom Samaritano – ACBS
Santa Luzia A Importância do Brincar na Educação Infantil Associação Madre Paula de Educação e Assistência Social                                
Teófilo Otoni Projeto Qualificação Profissional de Adolescentes de Teófilo Otoni Aprender Produzir Juntos – APJ           
Ubá Projeto Placar Nota 10 Sociedade Ubaense de Artes e Ofícios                                              
Uberlândia Semeando Oportunidades da Advem Associação Desenvolvimento Vida e Missão – Advem                                              
MT Chapada dos Guimarães Oficina Multidiciplinar Tear de Ideias Conselho Municipal da Criança e Adolescente de Chapada dos Guimarães 379.747,46
Cuiabá Oficina Somando Esperança – Continuação Associação de Espinha Bífida de Mato Grosso
Cuiabá Um Futuro Feliz! Obras Sociais Anália Franco
Cuiabá Oficina Socioeducativa Tecendo a Cidadania (Continuidade) Creche Filantrópica Boa Vontade
Cuiabá Comunidade no Cinema Associação Rede Favela
Rio Verde Arte que Transforma Instituto Pe. João Peter
PB Sumé De Olho no Futuro Prefeitura Municipal de Sumé 69.910,00
PI Castelo do Piauí Projeto Juventude e Cidadania Secretaria Municipal de Educação, Cultura e Esporte 70.000,00
PR Irati Uma Chance para o Futuro II Associação de Moradores do Bairro Rio Bonito – AMBRB 209.785,60
Londrina Projeto de Música Sinfonia Universal Centro de Educação Infantil Irmãs de Betânia
Piraquara Reciclepel – Capacit – Capacitação Profissional Associação de Apoio à Criança e ao Adolescente – Acrica
RJ Barra Mansa Programa Bem Querer Associação Ecomen de Barra Mansa 140.000,00
Rio de Janeiro Casa Lar Pedacinho do Céu Abrigo Evangélico da Pedra de Guaratiba
RS Camaquã Arte como um Fio Condutor para a Cidadania Associação Beneficente em Prol da Infância e da Juventude 397.739,70
Erechim Projeto Viver Bem Recanto Vida e Esperança
Rio Grande Praticando Futebol e Estudando Fundação Sócio Cultural Esportiva do Rio Grande
Santa Maria Música no Lar Sociedade Espírita Estudo e caridade Lar de Joaquina
São Luiz Gonzaga Renovação Banda Marcial INSA Lar da Criança e do Adolescente
Sapucaia do Sul Serralheria e Inclusão Digital Comitê da Cidadania
SC Caçador Aquisição de Material Esportivo Associação Caçadorense de Educação Infantil e Assistência Social – Aceias  157.517,00
Lages Aquisição de um Veículo Kombi para o Abrigo Menino Jesus Associação de Assistência Social, Trabalho e Cidadania – Samt
Lages Tratamento para Adolescentes Dependentes Químicos Centro de Recuperação Nossa Senhora Aparecida – Crensa
SP Americana Aprendendo com o Rugby Serviço Social Presbiteriano de Americana – Sespa 1.157.035,67
Campinas Projeto Trampolim Casa dos Menores de Campinas Cidade dos Meninos
Jaú Projeto Cultural Associação Sipeb Centro Promocional São José
Jaú Produtores de Cultura Pró Meninas Entidade de Amparo
Jaú Aquisição de um Veículo para Transporte Direcionado para Crianças e Adolescentes Fraterno Auxílio Cristão
Jundiaí Dançar a Vida Apae Jundiaí
Peruíbe Espaço Amigo II Centro Ecumênico Frei Tito de Alencar
Ribeirão Preto Projeto Profissional do Futuro Centro de Orientação, Reintegração e Assistência Social – Corassol
Ribeirão Preto Desenvolvendo Competências e Habilidades através da Educação Ambiental Projeto Criança Feliz
Ribeirão Preto Educação, Vida e Cidadania Sociedade Espírita Obreiros do Bem
Ribeirão Preto Desenvolvimento Integrado Fraternidade Solidária São Francisco de Assis
Ribeirão Preto Criança Feliz Centro Espírita Aprendizes do Evangelho
Ribeirão Preto Cidadão Mirim Organização Cidadania Ativa
Ribeirão Preto Comunidade no Transformar na Medida Associação Transformar Ação Sócio-Comunitária
São Paulo Cavalo Mágico Cáritas Diocesana de Campo Limpo
São Simão Espaço Multiuso para Crianças e Adolescentes Associação Beneficente de Ensino Profissionalizante São Paulo e Minas
Suzano Administrando o Futuro Instituto Amar Holiness
Vinhedo Adolescência e Aprendizagens Itacolomi Instituto de Apoio Social de Vinhedo
TOTAL BRASIL   5.112.533,45

No eixo da mobilização, a campanha Limpa Brasil – Let's Do It! tem como princípio conscientizar os cidadãos sobre o descarte ambientalmente correto dos resíduos sólidos produzidos, para tornar as cidades brasileiras cada vez mais limpas, melhorar a qualidade de vida e a autoestima dos cidadãos das cidades, com população acima de 1 milhão de habitantes.

Em cada cidade onde o evento é organizado, a mobilização social de voluntários é o elemento fundamental do sucesso na organização de mutirões de limpeza do ambiente urbano mais próximo das pessoas – a rua onde mora, seu bairro e outros espaços coletivos.

Conquistar as instituições e o povo por meio dessa causa é uma maneira importante de vincular a imagem do Banco como uma empresa atuante na defesa da sustentabilidade do planeta. O Banco também participa mobilizando seu voluntariado para atuação no dia do evento, numa ação sincronizada com os organizadores nacionais.

O movimento Limpa Brasil – Let's Do It! já realizou mutirões de limpeza em quatro cidades brasileiras: Rio de Janeiro, em 5 de junho, lançamento nacional da campanha; Brasília; Goiânia; e Campinas, com grande repercussão na mídia em cada localidade, conforme resumo a seguir:
  

Etapa Data Voluntários Lixo Recolhido Voluntários BB
Rio de Janeiro 05.06.2011 6.000 17 t 90
Brasília 21.08.2011 14.000 59 t 200
Goiânia 27.08.2011 15.000 90 t 200
Campinas 25.09.2011 12.000 52 t 300

Fundo da Infância e Adolescência

GRI EC8


Divulgação FBB

Para apoiar políticas e ações que garantam os direitos da criança e do adolescente e incentivar o envolvimento de clientes e voluntários, o Banco do Brasil destina recursos aos Fundos da Infância e Adolescência.

Eles consistem em contas bancárias criadas para o recebimento de doações de pessoas físicas e jurídicas, cujos saldos destinam-se ao financiamento de programas e ações de proteção à criança e ao adolescente classificadas nas seguintes dimensões: proteção contra abusos, exploração e violência, garantia de direitos, crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social e atendimento socioeducativo em meio aberto. As doações são incentivadas por dedução no Imposto de Renda.

Da parte do Banco do Brasil, R$ 6,2 milhões foram destinados aos FIA em 2011.

Ao montante repassado, somam-se outros R$ 1,3 milhão doados por clientes e funcionários. O valor 30% superior ao de 2010 é fruto da forte mobilização realizada em todos os Estados, pelas agências do Banco, incentivando a doação ao FIA. As comunidades também foram beneficiadas com recursos do Fundo, por meio de apoio direto do Banco a 79 projetos certificados e priorizados pelos conselhos. Dessa forma, o Banco, além de fazer sua própria destinação, acaba realizando importante papel de disseminação das políticas públicas e fortalecendo a prática de uma cidadania ativa.

Repasse ao FIA 1
(R$ milhões)

 

(1) A redução verificada no valor repassado ao FIA em 2011, em relação ao valor de 2010, ocorreu em função da maior expressividade do lucro real apurado em 2010, R$ 12,6 bilhões contra R$ 7,3 bilhões em 2011. Esclarecemos, ainda, que o lucro societário não é base de cálculo para efeito de apuração dos incentivos, cujo valor está limitado a 1% do imposto devido e este é calculado sobre o lucro real.


Mitigação dos Efeitos das Calamidades
Desde 2008, o BB participa com ações e medidas de apoio emergencial a funcionários, clientes e comunidades atingidas por catástrofe natural. Integrou o Gabinete de Crise da Presidência da República, tendo atuado em ações emergências para a catástrofe no Haiti, enchentes em Santa Catarina, Alagoas e Pernambuco.

Além de incluir o tema na Gestão de Continuidade dos Negócios, com o objetivo de manter os processos críticos em operação e preservar a integridade das pessoas, o BB lançou uma série de medidas de emergência que pudessem auxiliar as vítimas da calamidade, segmentada da seguinte forma:
 

Funcionários

Concessão de adiantamento em condições especiais, para atender despesas com hospedagem do funcionário e seus dependentes e também para aquisição de bens que foram perdidos na enchente: cinco funcionários solicitantes, no valor total de R$ 67,5 mil

Tratamento especial para as situações de ausências dos funcionários lotados nas dependências localizadas na região atingida.

Abertura de conta para arrecadar recursos para os funcionários e colaboradores do BB que, até o momento, arrecadou R$ 59,9 mil.

 
Clientes e Sociedade

Disponibilização de imóvel do BB para receber doações no município de Petrópolis – localização: BR 040, Km 69 – Alpha Café Solúvel S.A.

Disponibilização de unidade móvel – PAB Móvel – para atendimento bancário dos clientes na cidade de Nova Friburgo – Ag. Conselheiro Paulino.

Fornecimento de cópia de documentos pessoais constantes no cadastro do cliente.

Criação de Pontos de Coleta de doações nos Centros Automotivos BB Seguro Auto em Brasília e Fortaleza e nos Centros de Diagnóstico BB Seguro Auto Cartest em Curitiba, Florianópolis e São Paulo no período de 17 a 31.01.2011; com divulgação nas redes sociais.

As Associações Atléticas Banco do Brasil – AABBs das cidades atingidas serviram de Postos de Coleta de doações e dormitório para voluntários e população atingida.

Fortalecimento dos Planos de Negócios de Desenvolvimento Regional Sustentável da região, especialmente da atividade produtiva da Olericultura, com a finalidade de disponibilizar alimentos para a comunidade e comercialização de eventuais excedentes de produção.

Parcerias com o Governo Federal

GRI SO5

Consciente de seu papel no desenvolvimento do País, o BB tem participado efetivamente de programas e políticas públicas que têm resultado em benefícios à sociedade. Entre eles, destacam-se:


Campanha de Mobilização
pelo Registro de Nascimento

Por meio da assinatura de Acordo de Cooperação Técnica com a Secretaria Especial de Direitos Humanos, o Ministério do Desenvolvimento Agrário, a Caixa Econômica Federal e o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária, o BB integra o compromisso com a erradicação do sub-registro civil de nascimento e a ampliação do acesso à documentação civil básica. A ação reduziu o sub-registro para 6,6%, em relação a 2003, ano em que a porcentagem era de 18,9%.O BB também isenta da cobrança de tarifa pela emissão do documento os beneficiários do Pronaf que não têm CPF, além de outros em casos emergências e ligados à política social.

 
Repasse de Recursos

Termo de cooperação técnica celebrado entre o Banco e a Secretaria Especial de Direitos Humanos define a destinação de recursos ao Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda), por meio do Fundo Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente. A parceria prioriza o emprego dos recursos repassados pelo Banco nas seguintes ações: instalação e manutenção dos núcleos de formação continuada de conselheiros dos direitos e conselheiros tutelares; organização e produção do encontro das escolas de conselhos; formulação de módulos de capacitação a distância para escolas de conselhos; disseminação das normas do Conanda; produção de guias para conselheiros iniciantes; e Sistema de Informação para a Infância e Adolescência (Sipia).

 

O BB participa ainda do Grupo de Trabalho Permanente para Arranjos Produtivos Locais (GTP-APL), coordenado pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), composto por 33 instituições governamentais e não governamentais. O grupo tem como atribuição elaborar e propor diretrizes gerais para a atuação coordenada no apoio a Arranjos Produtivos Locais (APL) em todo o território nacional, tendo como objetivos:

A participação do Banco no GTP-APL se dá nas reuniões periódicas e no acompanhamento e na formulação das diretrizes para atuação das instituições participantes nos arranjos apoiados.


Educação Financeira

GRI FS16

Por meio da Universidade Corporativa Banco do Brasil – UniBB, a Organização coloca à disposição de seus funcionários e da comunidade o curso Planejamento Financeiro Pessoal, com o objetivo de contribuir para a compreensão da importância de gerir recursos financeiros próprios. A ação está alinhada à proposta da Comunidade de Aprendizagem da UniBB que, além da formação do corpo funcional, estende a educação corporativa gradativamente a outros públicos, contribuindo para o aprimoramento das relações negociais e para o desenvolvimento pessoal e profissional dos participantes da cadeia de relacionamentos do BB.

O curso tem por objetivo fazer com que o indivíduo assuma atitude positiva em relação ao planejamento financeiro, ordenando a vida econômica de forma que possa constituir reservas e, sistematicamente, patrimônio que garanta fonte de renda suficiente para ter vida tranquila e confortável no futuro.

Tendo em vista o grande alcance pretendido pelo curso, a proposta pedagógica foi construída no formato de jogo, em que o treinando responde às questões apresentadas por meio de personagem escolhido por ele. De forma didática e lúdica, a iniciativa possibilita a elaboração de diagnóstico sobre a situação financeira atual do participante, propõe critérios para a utilização do dinheiro, relaciona receitas e despesas pessoais e permite que ele analise os valores que compõem o mapa de receitas e despesas próprias, visando ao planejamento financeiro pessoal, e estabeleça metas e planos para curto, médio e longo prazos.

O BB desenvolveu, em 2011, uma série de ações direcionadas à educação financeira. Em seu site, aprimorou o curso de Planejamento Financeiro Pessoal e os simuladores, criou uma oficina de educação financeira, o atendimento à comunidade por intermédio do Banco Postal e uma cartilha para o público do Microcrédito Produtivo Orientado (MPO).

No mesmo sentido, promoveu a apresentação, em Brasília (DF) e Belo Horizonte (MG), da peça educacional Teatro Finanças Práticas, que usa o futebol como enredo para transmitir mensagens e conceitos de educação financeira de maneira simples e divertida. O espetáculo foi apreciado por cerca de 300 crianças de escolas públicas e, em 2012, será exibido em Curitiba (PR), Porto Alegre (RS) e Rio de Janeiro (RJ).


Por meio de seu site, de cursos e
simuladores, atendimento no Banco
Postal, cartilhas e até peças de
teatro, o BB ajuda a educar
financeiramente
os clientes

Fundação Banco do Brasil

GRI EC8 | SO1

Divulgação FBB

Há 26 anos a Fundação Banco do Brasil (FBB) atua para reduzir as desigualdades sociais e promover a cidadania. Em 2009, na realização do planejamento trienal para o período 2010/2012, o tema mudanças climáticas foi debatido de forma transversal, tendo sido mantido o foco em geração de trabalho e renda e educação e cultura, com apoio das tecnologias sociais. No âmbito desses eixos são desenvolvidos vários projetos e ações.

Para ampliar o alcance dessa atuação, a FBB busca a integração com seus stakeholders. Nesse sentido, promoveu, em 2011, o III Seminário de Geração de Trabalho e Renda, cujo objetivo foi refletir sobre políticas e tecnologias sociais para superação da pobreza. O evento proporcionou a troca de informações e experiências entre atores sociais, visando ampliar e disseminar conhecimentos e subsidiar o sucesso dos projetos apoiados.

Dentre eles, destacam-se o Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social, os investimentos sociais na cadeia dos resíduos sólidos, as ações de recuperação da Bacia do Rio São Bartolomeu – parte delas em parceria com o BB no Programa Água Brasil – e a replicação de unidades da tecnologia social de Produção Agroecológica Integrada e Sustentável (Pais), em parceria com o BNDES e o Desenvolvimento Regional Sustentável do BB, entre outros.

Desde 2003, a Fundação Banco do Brasil direciona seu investimento social a programas próprios, estruturados com base em Tecnologias Sociais que envolvem produtos, técnicas ou metodologias desenvolvidas em conjunto com as comunidades. Ao adotar como estratégia a replicação de Tecnologias Sociais focadas na superação da pobreza, por meio de iniciativas educacionais e de geração de trabalho e renda, a Organização busca mobilizar a sociedade em torno do tema, para que ele seja entendido como um instrumento de inclusão e transformação social.

Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social: lançado em 2001, com edições bienais, é o principal instrumento de identificação, seleção e certificação de tecnologias que compõem o Banco de Tecnologias Sociais (BTS), programa estruturado da FBB. Seu objetivo é identificar, certificar, reconhecer e difundir tecnologias sociais já aplicadas em âmbito local, regional ou nacional que sejam efetivas na solução de questões relativas a alimentação, educação, energia, habitação, meio ambiente, recursos hídricos, renda e saúde. Em 2011, a Fundação alcançou recorde em número de inscrições: foram 1.116 e 264 Tecnologias Sociais certificadas.

Estruturação da cadeia apícola no cariri cearense: em 2011 foi firmada parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Agrário (DAS) do Estado do Ceará no âmbito do projeto de apoio à estruturação, expansão e organização da cadeia produtiva da apicultura no território do cariri, racionalizando o sistema de produção de mel de acordo com boas práticas de fabricação. Os recursos, oriundos da parceria entre a Fundação e o BNDES, no valor de R$ 460 mil, foram destinados a adequação, ampliação e construção de quatro infraestruturas de extração e acondicionamento de mel, para que os apicultores pudessem obter um produto de melhor qualidade, agregando assim maior preço de mercado e tornando a atividade viável.

AABB Comunidade: no ano, a FBB aplicou cerca de R$ 30 milhões em ações nas áreas e educação e cultura, com foco nos programas AABB Comunidade, BB Educar, Memória, Memória Documental e novos projetos com destaque para ações de Educação Financeira. No âmbito do AABB Comunidade, aproximadamente 52 mil crianças e adolescentes participaram das ações de complementação educacional em 402 municípios. Diversas ações de complemento educacional em parceria com a Febab foram desenvolvidas, entre elas Jogos Cooperativos, cuja proposta é promover a cooperação como um valor entre os jovens; AABB em Tela, projeto que ensina os jovens a criarem blogs e pequenos filmes com o uso do celular, desenvolvendo habilidade de alto nível como capacidade de análise, síntese e avaliação; Vozes do Brasil, que já resultou na formação de 50 corais em vários Estados; Educação para o Trabalho, cuja proposta é auxiliar os jovens em relação as suas escolhas profissionais e seu futuro; e Seminário Regional de Alinhamento, com o objetivo de alinhar o conhecimento entre parceiros do programa: Administrador da Agência, Presidente da AABB e Coordenador pedagógico.

BB Educar: no campo da alfabetização, o programa atendeu aproximadamente 6 mil pessoas em 2011. Além disso, foram desenvolvidas duas experiências que resultarão em novas ações educacionais para dois focos: BB Educar formação e BB Educar EJA. Com o primeiro eixo pretende-se passar a ofertar ações de aperfeiçoamento a professores alfabetizadores da rede pública. No segundo, o BB Educar passará a ofertar convênios que auxiliem as prefeituras na construção de políticas de EJA consistentes e no aperfeiçoamento de professores de EJA.

Projeto Memória: a FBB promoveu exposições itinerantes em todo o País, realizando, por meio da rede de dependências do Banco do Brasil e seus parceiros, mais de mil eventos em homenagem ao Marechal Rondon e a João Cândido. Além disso, foi finalizado o projeto memória, em homenagem a Carlos Drummond de Andrade, a ser lançado no início de 2012, e iniciada a pesquisa histórica para homenagear Lélia Gonzales. Já o projeto Memória Documental apoiou, em parceria com o Museu do Índio do Rio de Janeiro, a terceira etapa do processo de preservação de 20 línguas e culturas indígenas brasileiras que estão ameaçadas de extinção. Essa ação resulta na produção de registros na forma de publicações impressas, vídeos e documentários e na capacitação das comunidades que se habilitam a produzir seus próprios registros e a preservar suas culturas.

Matriz de Coeficientes Técnicos para Recursos Hídricos: os trabalhos de construção da matriz foram encerrados em novembro, desenvolvidos pela Fundação Arthur Bernardes (Funarbe) em parceria com a FBB, que investiu R$ 597 mil no projeto e teve a supervisão da Secretaria de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano do Ministério do Meio Ambiente. Com a matriz, será possível antever decisões estratégicas, inclusive relacionadas à introdução de modelos institucionais e instrumentos de gestão dos recursos hídricos no País e à cobrança pelo uso da água.

Acordo de cooperação técnica com o Ministério da Pesca e Aquicultura: o objetivo do acordo é articular, formular e aplicar projetos que contribuam para a promoção sustentável das atividades da pesca e aquicultura, prioritariamente nas regiões Norte e Nordeste, com ênfase no público feminino. O resultado da parceria é um projeto de carcinocultura comunitária em Icapuí (CE) e dois em articulação: ostreicultura no Pará e piscicultura no Amazonas.

Acordo de cooperação técnica para aplicação do Programa Produtor de Água na Bacia do Pipiripau: a ideia é desenvolver instrumentos e metodologia visando à introdução da iniciativa, que inclui um modelo de incentivo financeiro aos proprietários rurais que aderirem, a fim de proteger os mananciais e promover a adequação ambiental das propriedades rurais.

Protocolo de Intenções com a Emater e Secretaria de Agricultura e Desenvolvimento Rural do Distrito Federal: por meio do protocolo, a intenção é desenvolver ações e projetos de fomento à agricultura familiar no Distrito Federal, em bases sustentáveis, prioritariamente na região da Bacia do Rio São Bartolomeu, observando a valorização do protagonismo social, o respeito à cultura local, o cuidado com o meio ambiente e a promoção da eficiência produtiva.

Protocolo de Intenções com o Instituto Interamericano de Cooperação: a medida visa desenvolver projetos de cooperação técnica e contribuir com soluções tecnológicas para a gestão integral e sustentável dos Territórios Rurais e da Agricultura Familiar; sustentar e projetar as atividades econômicas, buscando desenvolver e conservar a base de recursos naturais combinadas à eficiência produtiva e qualidade ambiental; diminuir os desequilíbrios sociais e tornar possível a inserção do pequeno produtor no processo de desenvolvimento; e melhorar a qualidade de matérias-primas e alimentos de interesse para a nutrição humana, ampliando a diversidade do consumo e assegurando a qualidade nutricional.

Inauguração de três Centros de Recuperação Ambiental (viveiros): Em parceria com a Funatura, a FBB realizou diagnóstico socioambiental na Bacia do Rio São Bartolomeu, que apontou alto nível de assoreamento e redução do volume de água. Além da ocupação territorial desordenada, com a rápida transformação de áreas rurais em loteamentos com características urbanas –, o que promoveu intensa perda da vegetação natural –, a Bacia também está submetida a outros tipos de pressões antrópicas, como a construção de barragens, descarga de esgoto doméstico e substituição das matas de galeria por áreas agrícolas destinadas à pecuária e à cultura de grãos. Diante da importância de sua preservação e recuperação, a FBB desenvolve, desde 2009, o projeto São Bartolomeu Vivo. Seu objetivo é produzir 1 milhão de mudas nativas do cerrado, recuperar 500 hectares de áreas degradadas da Bacia, mobilizar comunidades com ações de conscientização ambiental e valorização cultural, e reaplicar tecnologias sociais, a exemplo das barraginhas, fossas sépticas biodigestoras, Produção Agroecológica, Integrada e Sustentável (Pais) e Balde Cheio. Confira a seguir os resultados alcançados em 2011.

 

Mudas Plantadas no Ciclo 2010/2011 (136 mil)
 
Centros de Recuperação Ambiental (viveiros) – Capacidade anual: 75 mil mudas
Região Parceiros Localização Inauguração
Alto São Bartolomeu Funatura e IFB IFB Campus Planaltina (DF) 10.06.2011
Médio São Bartolomeu Ipoema Centro de Permacultura Asa Branca Brasília (DF) 24.08.2011
Baixo São Bartolomeu Rede Terra Cristalina (GO) 09.12.2011


Investimento da Fundação Banco do Brasil no Período jan/dez 2011
(R$ milhões)

Uso de Recursos Realizado
De Terceiros Investimento Social 37.610,75
Próprios 130.823,27
Investimento Social 98.569,61
Despesas e Demais Investimentos 32.253,66
Total 168.434,01
Investimento Social Total 136.180.356,99

Programa Inclusão Digital

GRI SO1

Até então desenvolvido paralelamente pelo BB e pela Fundação BB, o Programa de Inclusão Digital migrou, em 2011, para a entidade, que passou a ser responsável também pelo Programa de Inclusão e Transformação Social por meio da doação de computadores substituídos, criado no período. Nesse contexto, o Banco responderá pelo planejamento anual da destinação de computadores substituídos, atendendo ao Programa de Inclusão Digital e por outros compromissos regionais e nacionais.

A Inclusão Digital consiste na instalação de estações digitais e telecentros comunitários, com vistas à capacitação de crianças e jovens para enfrentar com sucesso os desafios de uma sociedade baseada nas tecnologias de comunicação e informação. Os equipamentos disponíveis nas unidades provêm das remodelações do parque tecnológico do Banco.

Em 2011, foram mais de 3,3 mil pontos de inclusão digital instalados, compreendidos os telecentros advindos do Programa Inclusão Digital do Banco do Brasil (PIDBB) e as Estações Digitais.

A centralização, na FBB, das ações do Programa de Inclusão Digital foi aprovada em abril de 2011 pelo Conselho Diretor do BB, mediante nota na qual estabeleceu o período de 180 dias para a medida e a consequente desativação da Coordenação Nacional na Ditec. O período de transição foi concluído em 30 de novembro, a partir de quando a Fundação assumiu a gestão dos telecentros comunitários e o compromisso com o Governo Federal, no âmbito do Programa Telecentros.BR, para instalação de cerca de 1.400 novas unidades. Algumas ações se destacaram no período: