Gestão Estratégica Estimativas para 2012

Indicadores Estimativas 2012
RSPL Recorrente 19% - 22%
Margem Financeira Bruta 11% - 15%
Depósitos Totais 14% - 18%
Carteira de Crédito  – País 17% - 21%
   PF 19% - 23%
   PJ 18% - 22%
   Agronegócio 9% - 12%
PCLD 3,1% - 3,5%
RPS 13% - 18%
Despesas Administrativas 8% - 12%
Taxa de Imposto 31% - 34%


As estimativas para 2012 foram elaboradas levando em consideração as seguintes premissas:
 

Premissas influenciadas
pela Administração:

 

Premissas que escapam ao
controle da Administração:

   
1.  Rentabilização da carteira de clientes como forma de potencializar receitas;
2.  Ampliação da rede de atendimento, da base com novos clientes e rentabilização de clientes já existentes, a partir da parceria com o Banco Postal;
3.  Manutenção do atual modelo de negócios, sem considerar novas aquisições e/ou parcerias estratégicas que possam ser firmadas para exploração de segmentos específicos;
4.  Alinhamento da estrutura de custos ao crescimento do volume de negócios;
5.  Reajustes nos contratos com fornecedores e acordo coletivo de trabalho, alinhados à prática de mercado;
6.  Reconhecimento de ganhos e perdas atuariais do Plano de Benefícios I da Previ, conforme determina a Deliberação CVM nº 600/2009.
 
1.  Baixo crescimento das economias desenvolvidas em 2012;
2.  Maior resistência, mas não imunidade, da economia brasileira a choques externos;
3.  Ambiente político sem ruptura institucional;
4.  Manutenção rating soberano do Brasil no status de grau de investimento;
5.  Manutenção da atual arquitetura da política macroeconômica doméstica: câmbio flutuante, metas para a inflação (âncora nominal) e disciplina fiscal, implicando redução gradual e consistente da relação entre a Dívida Líquida do Setor Público (DLSP) e o Produto Interno Bruto (PIB);
6.  Evolução da balança comercial brasileira e seus efeitos na carteira de comércio exterior;
7.  Aumento gradual do potencial de crescimento da economia brasileira (PIB potencial);
 
8.  Evolução das taxas de juros, câmbio, inflação e PIB de acordo com o consenso de mercado;
9.  Avanço do marco regulatório/agenda microeconômica, com estímulos aos investimentos público e privado;
10.  Estabilidade regulatória, inclusive no que concerne às alíquotas de tributos incidentes sobre as atividades do Banco, às legislações trabalhista e previdenciária;
11.  Alteração nas regras de consumo de capital e nas alíquotas de recolhimento compulsório – medidas macroprudenciais;
12.  Implementação de recomendações de
Basileia III;
13.  Diretrizes do Plano de safra 2012/2013.

 

Em 2011, o resultado do BB ficou em linha com as expectativas. O resultado da provisão de crédito de liquidação duvidosa foi positivo, encerrando abaixo das expectativas

 

Objetivos para o Período 2012-2016

O Banco do Brasil definiu os seguintes objetivos que direcionarão seus esforços e recursos no médio e longo prazos:

• Manutenção do patamar de rentabilidade;
• Rentabilização da base de clientes;
• Controle de custos;
• Reforço do papel de parceiro fundamental para o desenvolvimento sustentável do País;
• Expansão da internacionalização;
• Melhoria do atendimento;
• Aumento da eficiência operacional;
• Consolidação da atuação em mercado de capitais.