Mensagem do Presidente

GRI 1.1 | 1.2
Em um ano desafiador, mantivemos o ritmo de crescimento e reiteramos nossos princípios de responsabilidade social e o compromisso com a condução de negócios sustentáveis.

Em 2011, a economia brasileira reagiu bem – mais uma vez – aos efeitos das crises na Europa e nos Estados Unidos. Em um cenário de tímido crescimento das economias desenvolvidas, o País se destacou, entre outros aspectos, pela manutenção do rating – grau de investimento, evolução da balança comercial e aumento gradual do potencial de expansão e avanço do marco regulatório/agenda microeconômica, com estímulos aos investimentos público e privado.

O Banco do Brasil continuou em movimento ascendente e fechou 2011 com lucro líquido de R$ 12,1 bilhões, 3,6% a mais do que em 2010. Os ativos totais cresceram 21% na comparação com 2010, somando R$ 981,2 bilhões, o que consolidou nossa liderança no Sistema Financeiro Nacional (SFN) e nossa posição de maior banco da América Latina em ativos totais. Temos 19,2% de participação no mercado de crédito total e somos um dos principais agentes financeiros dos governos federal, estaduais e municipais e o maior financiador do agronegócio brasileiro.

No mercado interno, sempre focados na melhoria do atendimento, destacamos a parceria com os Correios para operarmos o Banco Postal. O negócio antecipará para 2012 nossa meta – inicialmente prevista para ser alcançada em 2015 – de estar presente em 100% dos municípios brasileiros. Outro evento que marcou o período foi o lançamento da Elo, a primeira bandeira brasileira de cartões, que comercializará o Ourocard Elo, com múltiplas funcionalidades. Também demos continuidade ao BB 2.0 – Programa de Transformação do Varejo, que visa nos elevar a um novo patamar de posicionamento estratégico e de sustentabilidade dos negócios.

O Banco do Brasil incrementou a atuação em iniciativas economicamente rentáveis que buscam soluções para problemas da sociedade e que representam poderosa alavanca para o desenvolvimento do Brasil. São os negócios sociais, dentre os quais se destacam o MPO – Microcrédito Produtivo Orientado, o programa Minha Casa Minha Vida, o Fies – Fundo de Financiamento Estudantil, o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar e também o Banco Postal.

Avançamos muito na internacionalização, com a aquisição do banco norteamericano EuroBank e do controle acionário do Banco Patagonia, o início do projeto de centralização organizacional de nossas unidades do continente europeu em Viena (Áustria) e a introdução de um centro de suporte aos negócios em Portugal. Obtivemos autorização do Banco Central para transformar nosso escritório de representação em Xangai (China) em agência e instalar escritório de representação em Bogotá (Colômbia). Essas ações estão alinhadas com nosso propósito de estar onde estão os brasileiros, manifestado em uma política que tem como base três vetores: existência de comunidades de brasileiros no exterior, transnacionalização de empresas brasileiras e expansão das relações comerciais do Brasil com o mundo.

Aldemir Bendine
Presidente

Para os acionistas, mantivemos a prática de distribuir 40% do lucro líquido. A eles destinamos R$ 4,9 bilhões em 2011, o que representa 4,1% acima do valor de 2010. Na carteira teórica do Ibovespa, ocupamos a sétima posição, com 3,17% de participação, e nossos papéis continuam integrando o Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) da BM&FBovespa.

Muito fizemos também em sustentabilidade, pautados por nossa Agenda 21 Empresarial, documento estruturado com base na Agenda 21, compromisso mundial em prol da justiça social, do equilíbrio ambiental e da eficiência econômica, estabelecido na conferência Eco-92, no Rio de Janeiro. Nela estão definidos nossos princípios e nossas estratégias de responsabilidade socioambiental. O documento se configura como um projeto transversal de toda a Organização, fundamentado no compromisso e na ação de todos os que o constroem. Engloba negócios com foco no desenvolvimento sustentável, aprimoramento de processos e gestão e investimento social privado.

Algumas iniciativas de nossa Agenda seguem a tendência do setor financeiro brasileiro de adequar o portfólio de crédito e a gestão de desempenho socioambiental às melhores práticas internacionais. Isso pressupõe a realização de painéis e workshops que engajem a sociedade para discutir o tema e gerar conhecimento. E é assim, com esse espírito colaborativo, que estamos pautando a nossa atuação.

Aprimoramos ainda a gestão de crises e riscos relativos a eventos climáticos e ampliamos as ações para conservação e proteção dos recursos hídricos, por meio do Programa Água Brasil. Nossa Estratégia de Desenvolvimento Regional Sustentável beneficiou quase dois milhões de pessoas em 4.100 municípios brasileiros.

Respaldados por essas conquistas, enxergamos o futuro com otimismo. Para enfrentar os novos desafios e obter resultados sustentáveis, traçamos como objetivos para 2012/2016 a manutenção do patamar de rentabilidade, a rentabilização da base de clientes, o controle de custos; o reforço do papel de parceiro fundamental para o desenvolvimento sustentável do País, a expansão da internacionalização, a melhoria do atendimento, o aumento da eficiência operacional e a consolidação da atuação em mercado de capitais.

Acreditamos em nossa capacidade de alcançar esses objetivos por contarmos com o comprometimento dos funcionários, a confiança dos acionistas, a fidelidade dos clientes e o apoio de governos e das comunidades com as quais nos relacionamos. Agradeço a esses agentes por nos motivarem a cumprir nosso papel de parceiro do desenvolvimento nacional.