busca
A- A+
Início »

Conexão

Comunidade


O BB reconhece e respeita os valores culturais de cada comunidade onde atua, buscando contribuir de forma efetiva para a geração de riqueza e renda e do desenvolvimento em bases sustentáveis. Neste sentido, participa de empreendimentos direcionados à melhoria das condições sociais da população, especialmente por meio das ações da Fundação Banco do Brasil.


Fundação Banco do Brasil


R$ 118.610 Mil O Maior Investimento Social da História da Fundação
A Fundação Banco do Brasil completou em dezembro de 2010, 25 anos de atuação em prol do desenvolvimento sustentável, com ênfase na redução das desigualdades sociais e na promoção da cidadania. Nesta trajetória repleta de aprendizagens, a Fundação deixou de ser uma mera financiadora de projetos de outras instituições, para se dedicar à estruturação e ao aprimoramento de seus próprios programas.

Muitos atores e protagonistas, de norte a sul do país, contribuíram nesta busca por uma autêntica transformação social. Nesse processo, a sinergia com as comunidades, traduzida na reaplicação de tecnologias sociais, tem sido a tônica dos trabalhos realizados.

Visando promover o desenvolvimento social do país, a Fundação tem aplicado recursos crescentes em ações de Educação e Cultura e Geração de Trabalho e Renda. Como pode ser observado no gráfico abaixo, essa evolução atingiu seu ponto mais alto em 2010, com a execução do maior orçamento da história da Fundação. Este valor se reverteu em ações para melhoria das condições de vida de 273.000 pessoas, participantes diretos dos projetos executados em todo o país.


Investimento Social

R$ milhões




CATAFORTE - Logística Solidária



Material reciclável prensado para comercialização, Brasília (DF).

A Fundação atua desde 2002 na cadeia dos Recicláveis, fortalecendo iniciativas solidárias desenvolvidas por organizações de catadores para a agregação de valor aos produtos coletados e a disseminação da cultura de responsabilidade ambiental.

Em 2010, esta estratégia se refletiu na execução do Projeto Cataforte, parceria com o Ministério do Trabalho e Emprego, por meio da Secretaria Nacional de Economia Solidária – MTE/Senaes. O Projeto tem como foco a capacitação de aproximadamente dez mil catadores de materiais recicláveis, organizados em mais de duzentos empreendimentos solidários, e se destacou não apenas pelo valor envolvido – R$ 16.800 mil, mas também pelo elevado alcance social de suas ações.


Entrega de caminhão do Projeto CATAFORTE,
São Paulo (SP), Dez/2010.

A partir de julho de 2010, a Fundação iniciou tratativas com o BNDES, a Petrobras e o MTE/Senaes, visando novas ações integradas e complementares de fortalecimento da infraestrutura das cooperativas de catadores, de forma a ampliar sua capacidade operacional de coleta, transporte e comercialização. A parceria recebeu a denominação Cataforte – Logística Solidária.

No dia 23 de dezembro, durante a Expocatadores 2010, em São Paulo – SP, foi realizada a entrega do primeiro caminhão adquirido com recursos da parceria. A solenidade contou com a presença do então presidente Lula, da presidenta Dilma Rousseff e do presidente do Banco do Brasil, Aldemir Bendine.



Entrega de caminhão do Projeto CATAFORTE, São Paulo (SP), Dez/2010.


O Projeto tem como foco a capacitação de aproximadamente dez mil catadores de materiais recicláveis, organizados em mais de duzentos empreendimentos solidários


R$ 20.000 Mil Investidos na Reaplicação da Tecnologia Social PAIS
A Tecnologia Social PAIS reúne técnicas simples de produção agroecológica e de promoção do desenvolvimento sustentável. Tem por objetivo garantir a segurança alimentar de agricultores familiares e gerar renda por meio da comercialização do excedente.

No período de 2005 a 2010, a Fundação investiu mais de R$ 45.000 mil na implantação de 7.546 PAIS, em 22 unidades da federação. O maior volume de recursos foi aplicado em 2010 – R$ 20.000 mil, e esse resultado é fruto de parcerias estratégicas, estabelecidas com diversas entidades, em especial, a firmada com o BNDES.

Durante o exercício de 2010, foi realizado o I Encontro Nacional do PAIS, evento que possibilitou o intercâmbio de informações e experiências, visando aprimorar a atuação nas comunidades e potencializar os benefícios da tecnologia. Foram debatidos temas relevantes para os produtores, como a sustentabilidade e aspectos da produção, beneficiamento e comercialização.

 
Unidade PAIS , Guapimirim (RJ). Comercialização de produtos no I Encontro do PAIS, Brasília (DF), Maio/2010.  

A partir do I Encontro, buscou-se avançar em encaminhamentos relativos à comercialização de produtos para a merenda escolar de prefeituras e outros mercados. Também foram realizados esforços para aperfeiçoar o processo de reaplicação da tecnologia, a partir do levantamento das principais dificuldades para a execução dos projetos. A sistematização possibilitará melhorias no planejamento e no acompanhamento das ações, contribuindo para o alcance dos objetivos sociais pretendidos.


Unidade PAIS, Caxias (MA).

Outro destaque de 2010 foi o I Encontro Nacional do AABB Comunidade, realizado em agosto, na cidade de Luziânia (GO). Durante cinco dias, coordenadores de projetos e educadores puderam debater questões importantes para o desenvolvimento da tecnologia e adquirir novos conhecimentos.

I Encontro Nacional do PAIS, Brasília (DF)
Maio/2010.
I Encontro Nacional do PAIS, Brasília (DF)
Maio/2010.
   
Encontro Nacional do AABB Comunidade Luziânia (GO), Ago/2010. Encontro Nacional do AABB Comunidade, Luziânia (GO), Ago/2010.


O AABB Comunidade é um dos programas estruturados mais tradicionais da Fundação, fruto de parceria com a Federação Nacional das Associações Atléticas Banco do Brasil – Fenabb e com prefeituras de todo o país. Em 2010, a iniciativa esteve presente em 402 municípios, proporcionando atividades esportivas, recreativas e culturais a mais de 51 mil alunos, entre 7 e 18 anos, matriculados na rede pública de ensino.


Educadores e crianças do AABB Comunidade, Aparecida do Taboado (MS).


Investimentos da Parceria Fundação- BNDES – 2010 R$ 43.878 Mil
Ao longo de sua existência, o Programa tem desenvolvido diversas ações transversais, voltadas aos participantes de seus projetos. Nesta categoria, em 2010, destacaram-se os projetos Vozes do Brasil, Jogos Cooperativos e Educação para o Mundo do Trabalho. O primeiro visa difundir a música por meio da criação de corais, o segundo tem o propósito de promover a cooperação como um valor para a juventude e o último pretende oferecer orientação, para que os jovens reflitam sobre o mundo do trabalho e possam fazer escolhas conscientes com relação ao tema.

A Fundação e o BNDES estabeleceram um acordo de cooperação técnica e financeira mútua, com a finalidade de promover a redução das desigualdades, a inclusão social e o desenvolvimento territorial, através de investimentos no valor de duzentos milhões de reais, em um período de cinco anos.

Em 2009, tendo em vista que as ações do Acordo foram iniciadas no final do segundo semestre, não houve tempo hábil para que os recursos fossem totalmente investidos. Em 2010, este quadro foi superado, com a aplicação integral do orçamento do exercício e de valores remanescentes do ano anterior.

Os recursos da parceria vêm sendo direcionados para a reaplicação de tecnologias sociais, a estruturação de empreendimentos solidários, urbanos e rurais, e o desenvolvimento de cadeias produtivas e territórios.










Feira de agricultores familiares, Governador Valadares (MG).

Conexão Solidária Internacional


As áreas de fronteira brasileira têm apresentado grandes desafios, principalmente no campo social. O Governo Brasileiro vem buscando a convergência de esforços com países vizinhos, para viabilizar soluções conjuntas que atendam à população local.

Nesse contexto, ganha relevância o convênio firmado entre a Fundação e o Banco Interamericano de Desenvolvimento – BID. A parceria irá investir R$ 4 milhões de reais na gestão de cadeias produtivas e na implantação de quatro Centros de Referência de Tecnologias Sociais, em regiões fronteiriças, possibilitando a irradiação de conhecimentos e metodologias que podem melhorar a qualidade de vida das comunidades.

Esse processo é reforçado pelo movimento de expansão que o instituidor da Fundação vem realizando em países do Mercosul.

Acesse o Relatório de 25 anos da Fundação Banco do Brasil e confira mais detalhes sobre a atuação da Instituição.

 

 

 

 

 

 

 

 

Programa Aprendiz Banco do Brasil


O Programa Aprendiz Banco do Brasil, originalmente denominado Adolescente Trabalhador, é baseado na Lei 11.097/00 (Lei da Aprendizagem) e permitiu que 25.818 jovens de núcleos familiares de renda até meio salário mínimo regional per capita desfrutassem de capacitação profissional, renda social e a perspectiva de adquirir experiências de trabalho em mais de 2,5 mil dependências do Banco do Brasil no país, no período de novembro de 2000 a dezembro de 2010 .

O programa oferece benefícios que se constituem em diferenciais com outras empresas, como o serviço de assistência médico-hospitalar e o Programa de Orientação Profissional. Para iniciar no Programa, o adolescente deve ter entre 15 e 15 anos e 10 meses, ter bom rendimento escolar e estar cursando no mínimo a 7ª série do ensino fundamental do ensino diurno (no caso de ensino obrigatório com duração de 8 anos), ou o 8º ano, quando implantada a sistemática de 9 anos instituída pela Lei nº 11.274/2006.

O total de investimento neste Programa ultrapassa R$ 62 milhões/ano, que inclue um salário mínimo regional, auxílio alimentação, vales-tíquetes, vale-transporte e seguro-saúde. Ao final de 2010 o BB contava com 4.603 aprendizes.

O Programa representa a continuidade de uma iniciativa de quase quarenta anos oferecendo oportunidades para milhares de adolescentes em todo o país.

O Programa Aprendiz Banco do Brasil traz avanços em relação aos programas anteriores destinados a esse público, principalmente no que se refere à aprendizagem, porque mantém o objetivo de contribuir para a capacitação, formação pessoal e profissional do jovem, além de propiciar melhorias em sua qualidade de vida. Tudo isso, a partir do desenvolvimento de uma atividade produtiva e remunerada aliada à capacitação teórica, agora conduzida integralmente pela entidade.


 
Lançamento do novo Programa Aprendiz Banco do Brasil.    

Principais números do programa Aprendiz Banco do Brasil, incluíndo os programas Adolescente Trabalhador e Menor Aprendiz


25.819 adolescentes ingressaram no Programa de 2001 a 2010
4.603 adolescentes em processo de aprendizagem no BB
2.029 adolescentes do sexo masculino
2.574 adolescentes do sexo feminino


Grupos Étnicos


18 Indígenas
1.903 brancos
469 negros
20 amarelos
1.453 pardos
740 não informados

Abrangência do Programa


805 municípios atendidos, distribuídos em todo País
2.503 unidades do Banco do Brasil


Programa Estágio de Estudantes


O Programa Estágio de Estudantes do Banco do Brasil contribui para a qualidade da educação propiciando vivência prática ao estudante e complementando o processo de ensino/aprendizagem em correlação com o curso de formação do aluno.

Para participar do Programa, o estudante deve ter no mínimo 18 anos, estar matriculado e frequentando um curso regular de ensino médio ou superior e estar inscrito em pelo menos um dos agentes de integração conveniados. O Banco do Brasil concede aos seus estagiários benefícios, tais como bolsa-auxílio, auxílio-transporte, auxílio-alimentação, além do recesso remunerado.

Ao final de 2010, o Banco do Brasil contava com 9.392 estagiários e o investimento no programa ultrapassou R$ 50 milhões no ano.


Inclusão Digital


O Banco do Brasil, por si próprio ou por meio de sua Fundação, viabiliza a instalação de estações digitais e de telecentros comunitários, visando qualificar crianças e jovens para os desafios da sociedade atual, baseada nas tecnologias de comunicação e informação.

Tratam-se de espaços privilegiados de aprendizado e de intercâmbio cultural, onde são oferecidos não apenas cursos de iniciação à informática e acesso à internet como também, em alguns casos, serviços bancários e equipamentos para rádios comunitárias.

Por meio do Programa Estação Digital, da Fundação Banco do Brasil, foram implantadas 243 "estações digitais". O Programa Telecentros Comunitários, do Banco do Brasil, oferece acesso à tecnologia e inclusão digital nos cerca de 1.200 telecentros em todo o país. Os equipamentos usados no Programa Telecentros Comunitários provêm da remodelação do parque tecnológico do Banco.


Fundo da Infância e da Adolescência


O Programa de Direcionamento de Imposto de Renda e Doações para Fundo da Infância e Adolescência (FIA) do Banco do Brasil tem como objetivo apoiar as políticas do sistema de garantia dos direitos da criança e do adolescente e ao mesmo tempo incentivar a participação cidadã – de seus clientes e voluntários – como força de transformação da sociedade.

Os Fundos da Infância e da Adolescência são contas bancárias criadas para receber recursos de fontes governamentais e de pessoas físicas e jurídicas que só podem ser utilizados no financiamento de programas e ações de proteção à criança e ao adolescente, em projetos enquadráveis nos seguintes eixos: proteção contra abuso, exploração e violência, garantia de direitos, crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social, atendimento socioeducativo em meio aberto, conforme prevê o Estatuto da Criança e do Adolescente. As contribuições são incentivadas por dedução de imposto de renda das pessoas físicas e jurídicas. Os fundos são geridos pelos conselhos da criança e do adolescente em âmbito nacional, distrital, estadual e municipal e monitorados pelo Ministério Público.

Em 2010, cerca de R$ 11,8 milhões foram direcionados pelo Banco do Brasil ao FIA. Ainda outro montante de doação pode ser registrado, da parte dos clientes e funcionários do BB que destinaram outros R$ 948 mil para Fundos da Infância e da Adolescência por doações solidárias individuais.


Repasse ao FIA

(R$ milhões)



Importante destacar que, graças aos últimos resultados obtidos pelo Banco e que possibilitou maior margem de destinação de recursos aos fundos da infância e da adolescência, desde 2009 o Banco vem apoiando iniciativas de funcionários voluntários que atuam em entidades que trabalham com o sistema de garantias de direitos de crianças e adolescentes. Em 2010, os 31 projetos relacionados abaixo receberam esses recursos, o que totalizou o repasse superior a R$ 2,5 milhões.

UF Município Projeto Entidade VR projeto (R$)
AM Manaus Pipocas – Projeto Integração Pedagógica e Oportunidades Criativas de Atendimento Social Centro de Formação Vida Alegre 100.000,00
BA Salvador Cidadania, Tecnologia e Musicalidade Olodum CDI – Centro de Democratização da Informática 99.711,60
CE Crato Ações Culturais para Povos Rurais Projeto Verde Vida 100.000,00
GO Aragoiânia Um Raio de Sol no Meu Caminho Centro de Referência Raio de Sol 96.000,00
Aparecida de Goiânia Projeto Futuro Legal CMDCA Aparecida de Goiânia 100.000,00
MA Olinda Nova Núcleo de Democratização do Esporte e Lazer Comunitário Instituto Formação 80.000,00
MG Ibirité Garantir Melhor Acolhida na Casa Abrigo Centro de Libertação da Mulher Trabalhadora 34.400,00
Itauna Obras Sociais da Paróquia Nossa Senhora da Piedade Recriando Caminhos 26.000,00
Lagoa Santa Caiu na Rede é Midia Conviver Saber Social 86.159,69
Nova  Lima Circo de Todo o Mundo Centro de Recreação de Atendimento e Defesa da Criança e do Adolescente 100.000,00
Antonio Carlos Faça Uma Criança Feliz Escola de Menores São Vicente de Paula 99.733,08
Montes Claros Profissionalização da Guarda Mirim de Montes Claros Associação Mantenedora da Guarda Mirim de Montes Claros 99.000,00
Montes Claros Fundação Educacional de Montes Claros Juventude Cidadã – sua ginga, seu toque e sua dança 59.240,01
Montes Claros Pastoral do Menor São João Batista Oficinas da Pastoral 98.058,62
Montes Claros Diversa Idade – Cidadania e Sexualidade GLBT na Adolescência Movimento Gay das Gerais 86.710,20
Montes Claros Solidariedade Congregação das Irmãs da Sagrada Família 97.097,79
MT Cuiabá Oficina Sócio educativa Tecendo Cidadania Creche Filantrópica Boa Vontade 36.000,00
MS Campo Grande Recanto da Criança 2011 Recanto da Criança 100.000,00
PR Irati Uma Chance para o Futuro Associação dos Moradores do Bairro Rio Bonito 99.000,00
PE Olinda Musicanto, Ecos da Inclusão ADEPE – Associação de Deficientes Peixinho 66.400,00
RS Sapucaia do Sul Cidadania - Cursos Profissionalizantes Comitê de Cidadania Contra a Fome e a Miséria 100.000,00
SC Garopaba Música na Comunidade – Projeto Grupo de Música – Projetos Básicos para Violão Ação Social São Joaquim 56.050,00
São Miguel D'Oeste Jovem, Educação e Profissionalização Lions Clube São Miguel D’Oeste 24.636,00
SP Campinas Trampolim – Um Salto para o Futuro – Projeto Aprendiz Casa de Menores de Campinas 70.580,00
Peruíbe Projeto Espaço Amigo Centro Ecumênico Frei Tito de Alencar 100.000,00
Ribeirão Preto Comunidade no Transformar na Medida Associação Transformar Ação Sócio Comunitária 100.000,00
Ribeirão Preto Prevenção Também se Ensina FRASOL – Fraternidade Solidaria São Francisco de Assis 37.870,00
Ribeirão Preto Cidadão Mirim Organização Cidadania Ativa – OCA 100.000,00
São Paulo Construção do Hospital do GRAACC Grupo de Apoio ao Adolescente e à Criança com Câncer 100.000,00
São Paulo Projeto de Volta para Casa Associação Beneficente Santa Fé 100.000,00
SE Lagarto Cinema nos Bairros Rotary Clube de Lagarto 72.350,00
TOTAL 31 2.524.996,99


Voluntariado BB


O Banco do Brasil vem buscando ser um grande animador das ações voluntárias de seus funcionários, tanto da ativa como aposentados. Materializa esse empenho por meio de várias iniciativas tais como: capacitações para a realização do trabalho voluntário e, reconhecimento desse trabalho, por meio de apoio financeiro a projetos que contam com a participação voluntária de seus servidores. Busca fomentar a criação de comitês de cidadania disponibilizando áreas ociosas para sua instalação e concedendo isenção nas principais tarifas bancárias.

Como forma de apoiar financeiramente os projetos de seu voluntariado, foi criado o Projeto Voluntários BB em 2004. O Projeto Voluntários BB é o resultado do trabalho conjunto do Banco do Brasil e da Fundação Banco do Brasil para apoiar a implementação de ações sociais voluntárias que promovam geração de trabalho e renda desenvolvidas por entidades civis sem fins lucrativos, oportunizando aos mais de 2000 voluntários inscritos no programa concorrer à obtenção de recursos.

Reforçando sua postura, o projeto incorporou em 2010 duas novas categorias para inscrição de propostas: conservação e recuperação de recursos hídricos e adaptação das comunidades às mudanças climáticas. Por meio dessa parceria os 46 projetos abaixo receberam apoio que superou R$ 3,5 milhões.

UF

Município

Entidade Proponente

Título do Projeto

Valor Apoio FBB (R$)

AC

Brasileia

Sociedade de Desenvolvimento Ambiental do Alto Acre – SDAC

Alpinistas da Floresta – Manejo Sustentável de Sementes Florestais Nativas

 100.000,00

AM

Manaus

Instituto Tecnológico Alternativo de Petrópolis do Amazonas Vicente Ferreira da Silva

Rede de Empreendedores Digitais de Petrópolis – Amazonas

91.110,00

BA

Catu

Associação Beneficente e Comunitária São Judas do Bom Viver

Projeto Recicla Cidadania

99.331,00

BA

América Dourada

Associação Des. Rural e Agropecuário de Prevenido

Processamento de Polpa de Frutas

100.000,00

CE

Maracanaú

Associação Comunitária do Coqueiral

Projeto Costurar é Construir

45.200,00

CE

Quixelô

ICEQUI – Instituto Cultural e Econômico de Quixelô

Rendas do Quixelô

57.792,00

CE

Maracanaú

Associação Beneficente do Alto Alegre

Tecendo o Amanhã

35.200,00

DF

Brasília

Casa de Ismael – Lar da Criança

Programa Primeiro Passo para o Trabalho

99.953,60

DF

Sobradinho

Obras Sociais do CEF Jeronimo Candinho

Capacitando e gerando renda com produções audiovisuais

100.000,00

DF

Brasília

Viver Costurando

Viver – Associação dos Voluntários Pró-Vida Estruturada

33.958,00

DF

Recanto das Emas

Cooperativa Habitacional do Recanto das Emas

Comunidade Recanto Feliz

38.948,80

DF

Brasília

Instituto Comunidade Participativa

Projeto Moda Jovem

99.431,00

GO

Luziânia

Obras Sociais da Sociedade Espírita Wantuil de Freitas

Juventude em Marcha

100.000,00

GO

Goiânia

Associação de Materiais Recicláveis Beija Flor

Reciclando Vidas

78.178,00

GO

Goiânia

Cooperativa dos Coletores de Material Reciclável A Ambiental

Reciclando Cidadania

78.178,00

GO

Goiânia

Cooperativa dos Catadores de Material Reciclável "Reciclamos e Amamos o Meio Ambiente" – Cooper-rama

Reciclagem e Solidariedade

78.178,00

GO

Goiânia

Obras Sociais do Centro Espírita Irmão Áureo

Mercatudo do Irmão Áureo

100.000,00

MA

São Luís

Fórum de Desenvolvimento Local Sustentável da Vila Jaracaty

Construindo para Cidadania

81.000,00

MA

São Luís

Associação Beneficente de Mães de Vila Nova

Penteado Afro – Beleza Negra

60.949,16

MG

Janaúba

Associação Comunitária dos Apicultores de Janaúba

Associação de Beneficiamento de Mel

99.855,00

MG

São João da Ponte

Associação Quilombola Brejo dos Crioulos

Estruturação e consolidação das unidade de beneficiamento de mandioca, cana e arroz do Quilombo Brejo dos Crioulos

96.709,94

MG

Jaboticatubas

Educar e Capacitar para Crescer

Grupo Amor e Caridade

100.600,00

MG

Araçuaí

Centro Popular de Cultura e Desenvolvimento – CPCD

Projeto Quintais Maravilha - Hortas Sustentáveis

49.892,10

MG Itueta Conselho de Desenvolvimento Comunitário Córrego São Simeão Construção de Barraginhas 99.997,20
MG Bocaiúva Associação Comunitária de Morro Alto Unidade de Processamento de Mandioca – Morro Alto (MG)  98.967,15
MS Cassilândia Associação de Pais e Amigos dos Expepcionais APAE Irrigação e Estufas para Horta Comunitária 20.000,00
MS Campo Grande Obras Sociais Francisco Thiesen Projeto Brilhar Mais 2010 93.608,25
MS Campo Grande Obras Sociais Anália Franco Ampliação da Oficina-Escola de Marchetaria em Madeira Reaproveitada de Palete 96.928,42
MS Campo Grande Associação de Reabilitação Parceiros da Vida – Esquadrão da Vida Fábrica de Tijolo Ecológico 100.600,00
PB João Pessoa Associação de Cidadania e Inclusão Social – ACIS Projeto Reviver com Cidadania 38.927,00
PE Parnamirim Instituto Parnamirim Cidadão – IPC Parna-Service Refeições 96.862,72
PE Parnamirim Associação dos Agricultores e Piscicultores do Entremontes Pesca Artesanal do Entremontes 45.000,00
PE Parnamirim Associação dos Agricultores da Fazenda Dourado Pesca Artesanal – Fazenda Dourado 45.000,00
PR Mandirituba Cooperativa dos Produtores Rurais e Artesãos de Mandirituba Construção de galpão com 450m2 para a Cooperativa de Produtores Rurais e Artesãos de Mandirituba – Coopermandi  99.515,79
PR Iretama Organização Não-Governamental Mulher Jurema – ONG MUJUR Usina de Separação de Materiais Recicláveis 84.095,20
PR São João Conselho Comunitário de São João Melhorias na Ofina de Marcenaria 48.200,00
PR Curitiba, São José dos Pinhais e Campina Grande do Sul Capacitação Profissional para o Setor Hoteleiro e Modernização de Equipamentos ASEC – Associação de Promoção Social, Educação e Cultura 95.465,78
RN Natal Instituto Fal de Educação, Cultura, Meio Ambiente e Artes Transforme-se 96.000,00
RS Alegrete Cooperativa de Catadores de Resíduos Sólidos Reciclagem – Fonte de Renda e Preservação Ambiental 97.000,00
RS Bom Jesus Associação Beneficente Betesda de Bom Jesus Projeto Cozinha Popular 34.648,00
RS Porto Alegre Obra Social Imaculado Coração de Maria Jovem Valor 78.999,71
SC Xanxerê Fraternidade Cristã de Pessoas com Deficiência de Xanxerê – FCDX Escola da Cidadania e dos Saberes 30.673,50
SC Caçado AMAR – Associação Maria Rosa Ofinca de Artesanato – Bordando em Tela e Patchwork 25.518,90
SC Itapoá ONG Bridge International – Instituto para Promoção da Vida Ichtus – Rede de Reciclagem Artesanal da Pele de Peixe 57.105,62
SP Ribeirão Preto Associação dos Deficientes Visuais de Ribeirão Preto e Região Voz que Transforma – Radialismo e Locução como Foma de Humanização e Profissionalização de Deficientes de Ribeirão Preto 101.200,00
TO Nazaré Associação dos Apicultores de Nazaré Implantação de Agroindústria (Entreposto) para Beneficiamento dos Produtos Oriundos da Apicultura na Região de Nazaré (TO)  100.000,00
Total 46 3.508.777,84


Ainda no exercício, por meio de parceria entre o BB e a FBB, foi realizado o II Encontro dos Comitês de Cidadania do BB. Esta iniciativa foi realizada em conjunto com curso de capacitação para acesso ao Portal de Convênios – Siconv, que consiste numa ferramenta que moderniza o acesso e controla os recursos públicos por meio de convênios. Desta forma, acrescenta-se para o voluntário novas capacidades e oportunidade complementar de acesso a recursos para execução de projetos sociais. Os participantes também puderam adquirir conhecimentos que possibilitaram a atuação como multiplicadores de conhecimento em suas localidades de origem.

Como forma de materializar o reconhecimento das ações desenvolvidas pelos voluntários, foi incluída a categoria Voluntariado em outra iniciativa do Banco, o Prêmio Valores do Brasil, cujo detalhamento segue em tópico próprio. Além de serem homenageados em evento público, com a presença de mais de 1 mil convidados, também foram agraciados com pacotes turísticos para a Costa do Sauípe (BA).

Educação Financeira


Compreendendo os conceitos básicos sobre o porquê, como e quando investir, o cliente estará em melhores condições para fazer suas escolhas. Por isto o Banco do Brasil vem investindo em educação financeira desde 2009 quando, em parceria com a Visa, implantou o Projeto Bate-Bola Financeiro, no hot site bb.com.br/ourocard. Trata-se de um jogo com três níveis de dificuldade que ensina os princípios de finanças pessoais e que pode ser jogado contra o próprio computador ou contra um amigo.

Em outra iniciativa, em maio de 2010 o cartão Ourocard do BB apoiou a peça de teatro "Finanças Práticas", apresentada no CCBB-SP, uma iniciativa da Visa. De forma lúdica, a peça conta a história de dois jovens com visões e valores diversos, incluindo noções de como as crianças e jovens podem administrar sua vida financeira e seu futuro.

Durante a realização das etapas do Circuito Banco do Brasil de Vôlei de Praia – Sub 21, nas cidades de Campina Grande (PB), Santos (SP) e Cabo Frio (RJ), o Banco do Brasil ministrou palestras sobre o tema Educação Financeira para aproximadamente 1.200 alunos matriculados em 7 (sete) escolas de ensino médio (pré-universitários).

Em Brasília também foram ministradas 2 (duas) palestras sobre esse tema nas unidades do INEI (Asa Norte e Lago Sul) tendo como público-alvo alunos do 6º ano do ensino fundamental ao 1º ano do ensino médio.

Essas ações fazem parte do Projeto Universitários 2010 e têm como objetivo estreitar o relacionamento com o público jovem e universitário presentes nos eventos esportivos, ensinando-os a tomar decisões financeiras de forma responsável e consciente.

Foram realizadas palestras também nas comunidades de Paraisópolis e Heliópolis (São Paulo). Cada localidade contou com 4 palestras e um público médio de 300 pessoas. Foram abordados temas de educação bancária e financeira, saúde, alimentação e beleza.

Em julho de 2010 foi lançada a página de Educação Financeira no site do Banco do Brasil, oferecendo orientações e dicas de planejamento financeiro e de investimento. A página registrou mais de 140 mil acessos desde o lançamento até o mês de dezembro. Neste espaço os usuários têm acesso a informações sobre o tema e aos sites de parceiros, que oferecem boas práticas, como Meu Bolso em Dia, da Febraban; Portal do Investidor, da CVM; Como Investir, da Anbima; e Finanças Práticas, da Visa.


Prêmio Valores do Brasil


No âmbito das comemorações de seu bicentenário em 2008, o Banco do Brasil criou o Prêmio Valores do Brasil com o objetivo de reconhecer, premiar, estimular e difundir iniciativas sustentáveis e científicas no âmbito do desenvolvimento do país.

Concedido a cada 2 anos, na sua primeira edição foram 16 instituições premiadas ligadas ao "Desenvolvimento Econômico Sustentável", e na segunda, em 2010, foram premiadas 20 iniciativas selecionadas entre mais de 5 mil experiências bem sucedidas ocorridas nos últimos anos no BB, tendo como temática central o desenvolvimento sustentável a partir da indicação de experiências de sucesso, reforçando o posicionamento do BB no tema sustentabilidade, reconhecendo e fortalecendo os trabalhos de funcionários, dependências e parceiros por todo o país.

Concorreram ao Prêmio funcionários, organizações que apoiam ou desenvolvem projetos em conjunto com cooperativas, associações ou ONG e empreendedores que desenvolvem projetos relevantes na área de desenvolvimento sustentável. A seleção dos projetos foi realizada em três etapas: a primeira por indicações das agências, superintendências, empresas e entidades do Conglomerado; a segunda etapa foi a pré-seleção realizada pela Unidade Desenvolvimento Sustentável do Banco do Brasil e a terceira e última foi realizada por um Grupo Técnico, formado por executivos das Diretorias do Banco do Brasil, incluindo a Fundação Banco do Brasil, sob supervisão da KPMG.


Resultado do Prêmio Valores do Brasil – Edição 2010

  • Categoria Educação Ambiental
    • Projeto Assuma seu Papel – Gecex Curitiba (PR)
      Entidade parceira: Associação de Apoio à Criança e ao Adolescente
    • Projeto Educação Ambiental – CSO Brasília (DF)
      Entidade parceira: Instituto Brasília Ambiental
    • Projeto Fitilhagem – Gepes Rio de Janeiro (RJ)
      Entidade parceira: Cooperativa Recooperar de Catadores de Materiais Recicláveis
    • Projeto Não Plante Pilhas – Gecex Porto Alegre (RS)
    • Projeto Óleo que Alimenta e Limpa – Agência Empresarial Oeste Paulista do Banco do Brasil em Bauru (SP)
      Entidade parceira: Supermercados Confiança

  • Categoria Coligadas
    • Projeto ADD Training – São Paulo (SP) Aliança do Brasil – São Paulo (SP)
      Entidade parceira: Associação Desportiva para Deficientes
    • Projeto Água Coletiva – Caetés, Itabaí, Manari, Pesqueira e Serra Talhada (PE)
      Brasilcap, Brasilprev, Brasilveículos e Aliança do Brasil
      Entidade parceira: Comitê de Cidadania dos Funcionários do Banco do Brasil
    • Projeto Escola Estadual Carlos Maximiliano – Brasilprev – São Paulo (SP)
      Entidade parceira: Escola Estadual Carlos Maximiliano
    • Projeto Morro do Juramento – Brasilveículos – Rio de Janeiro (RJ)
      Entidade parceira: ONG Gera Renda
      Projeto Nós de Bolsa – Guapimirim (RJ) Brasilcap – Rio de Janeiro (RJ)
      Entidade parceira: Associação Guapiense de Integração Renovadora

  • Categoria Voluntariado
    • Projeto Cisternas de Placas – Chapada Gaúcha (MG) e Coger (DF)
      Entidade parceira: Associação Comunitária Mãe Ana
    • Projeto Construção Barracão Agroindustrial – Agência Primeiro de Maio (PR)
      Entidade parceira: Associação dos Plantadores de Tomates e Produtos Hortifrutigranjeiros do Município de Primeiro de Maio
    • Projeto Fortalecimento da Estrutura Produtiva dos Grupos Vida e Preservação e Sabor do Cerrado do Assentamento Colônia I – Padre Bernardo (GO) – Dirag (DF)
      Entidade parceira: Associação dos Produtores Rurais do Projeto Colônia
    • Projeto Oficina de Panificação Vovó Meca – Goiânia (GO) – Aposentado do Banco do Brasil
      Entidade parceira: Obras Sociais do Centro Espírita Irmão Áureo
    • Projeto Pão da Vida – Agência Viçosa do Ceará (CE)
      Entidade parceira: Centro Espírita O Pobre de Deus

  • Categoria Desenvolvimento Regional Sustentável – DRS
    • Plano de Negócios de Comércio de Materiais Recicláveis – Agência Pirituba (SP)
      Entidade parceira: Cooperativa de Trabalhadores de Reciclagem e Beneficiamento Crescer
    • Plano de Negócios de Cultivo de Caju – Agência Assu (RN)
      Entidade parceira: Associação Projeto de Assentamento da Reforma Agrária de Novo Pingos
    • Plano de Negócios de Cultura do Açafrão da Índia – Agência Mara Rosa (GO)
      Entidade parceira: Cooperativa dos Produtores de Açafrão de Mara Rosa
    • Plano de Negócios de Hortifrutigranjeiros – Agência Bairro São Cristóvão – Chapecó (SC)
      Entidade parceira: Cooperativa da Produção Artesanal de Guatambu
    • Plano de Negócios de Pesca de Captura ou Extração – Agência Tefé (AM)
      Entidade parceira: Colônia dos Pescadores Z4 de Tefé



Relacionamento com ONGs, OSCIP, Associações e Cooperativas


Pelo fato de ser uma organização com forte vocação para o desenvolvimento sustentável de base local/regional e agente de políticas públicas, o Banco do Brasil entende que seus objetivos não poderão ser alcançados sem diálogo permanente e interação proativa com a sociedade civil e demais stakeholders.

O relacionamento respeitoso e saudável com ONGs, OSCIP, associações de bairros e cooperativas comunitárias de produção está no centro da atuação dos programas da Fundação Banco do Brasil nas áreas de saúde, cultura e esportes; nas iniciativas da Agenda 21 do Banco do Brasil; em projetos de desenvolvimento de interesse coletivo – como na Estratégia de DRS e Arranjos Produtivos Locais.

O Banco do Brasil também participa de programas de desenvolvimento sustentável em parceria com órgãos governamentais, entidades da sociedade civil e outras organizações, brasileiras e internacionais, como o Protocolo Verde, Objetivos do Milênio, Pacto Global da ONU, Pacto pelo Combate ao Trabalho Escravo, Princípios do Equador, Princípios de Empoderamento das Mulheres, Fórum Amazônia Sustentável, Moratória da Soja, Programa Pró-Equidade de Gênero, Carbon Disclosure Project, Empresas pelo Clima, Índice Carbono Eficiente – ICO2 e outros.

O BB promove o repasse de verbas, por meio de renúncia União (Lei 8.069/90) para o Conanda (Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente/Fundo Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente). Este repasse tem como finalidade a promoção da qualificação de profissionais, preparo de materiais e no desenvolvimento de ferramentas apropriadas a crianças e adolescentes atendidos pelo Conanda. Os recursos destinados pelo BB ao Conanda foram aplicados:

1.  na qualificação de profissionais do Sistema de Garantia dos Direitos (SGD), em especial da rede de conselhos dos direitos e conselhos tutelares, por meio de estratégias de formação continuada – Escolas de Conselhos. Essas escolas são uma ação nacional voltada para a capacitação e articulação acadêmica realizadas em parcerias com universidades, centros de formação e outros;
2.  na elaboração e publicação de materiais institucionais e pedagógicos, tendo como diretriz o Estatuto da Criança e do Adolescente; e
3.  nos processos de desenvolvimento, implantação e implementação do Sistema de Informações para a Infância e a Adolescência, em versão web – Sipia. O sistema é um instrumento informatizado de gestão, permitindo a coleta sistematizada e o tratamento de informações a respeito das violações dos direitos de crianças e adolescentes.

A aplicação dos recursos destinados pelo BB ao Fundo Nacional tem contribuído para superar, progressivamente, a carência de preparo para o exercício das funções de Conselheiros Tutelares e de Direitos, na perspectiva de garantir uma atuação qualificada dos atores na defesa dos direitos da infância e da adolescência, com reflexo direto na gestão desses recursos públicos.

Segundo avaliação da Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente, trata-se de uma parceria estratégica e profícua na estruturação e fortalecimento de uma política pública sustentável no campo do fortalecimento do Sistema de Garantia de Direitos (SGD). Continuando, a Secretaria ressalta que a parceria com o BB e os produtos dela originados têm contribuído também na ampliação da taxa de implantação de Conselhos Tutelares (CT) e Conselhos Municipais dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) nos municípios brasileiros. Apresenta dados de 2009 que mostram que, do coeficiente total de municípios, 91,4% dispõe de CMDCA e 98,3% de CT.

Mais do que estar presente nas ações e iniciativas do Banco do Brasil, o reconhecimento da importância da participação da sociedade civil em seus resultados consta ainda em documentos como o Código de Ética, o Código de Governança e as Normas de Conduta.


Iniciativas aos Afetados pelos Desastres Naturais


Nos desastres naturais ocorridos no ano de 2010, o Banco do Brasil promoveu iniciativas emergenciais que contemplaram clientes, funcionários e comunidades atingidas. Todas as medidas pertencem a um plano de emergência desenvolvido pelo Banco.

Abertura de contas para recebimento de doações, envolvimento do voluntariado BB nas regiões afetadas são algumas das ações desenvolvidas pelo BB. Além disso, para permitir a continuidade das atividades comerciais de seus clientes em caso de calamidades ou desastres naturais, o Banco do Brasil normatizou medidas emergenciais acionadas a partir da decretação de situação de emergência ou estado de calamidade pública pela autoridade competente – medidas estas que podem ser complementadas por outras, conforme a situação específica.

topo