busca
A- A+
Início »

Conexão

Acionistas e Investidores


Perfil


Os padrões de Governança Corporativa do Banco do Brasil situam-se entre os mais elevados do mundo, atendendo às exigências cada vez maiores do mercado. O Banco integra o segmento do Novo Mercado da BM&FBovespa, que reúne as instituições com as mais rigorosas práticas de Governança Corporativa, como o equilíbrio de direitos entre acionistas, a prestação transparente de contas aos investidores e à sociedade, bem como a sustentabilidade dos negócios e a ética no relacionamento com seus públicos.

Em 2010, mais uma vez o Banco do Brasil entregou resultados consistentes e crescentes, registrando lucro líquido de R$ 11,7 bilhões. Com os 40% de payout, o BB distribuiu R$ 4,7 bilhões em dividendos e juros sobre o capital próprio, garantindo retornos positivos a seus acionistas.

Oferta Pública de Ações


O Banco do Brasil realizou, em junho de 2010, sua mais bem-sucedida oferta pública de ações, na qual foram negociadas 396 milhões de ações, sendo 286 milhões na oferta primária e outros 110 milhões na secundária, totalizando R$ 9,8 bilhões.

A captação de recursos líquidos na distribuição de ações, no contexto da Oferta Primária, teve o seguinte propósito: (i) 85% dos recursos serão utilizados para ampliar a base de capital do Banco e, com isso, permitir o incremento da carteira de crédito, sendo estimado que a maior parte dessa expansão deverá vir de operações de crédito dirigidas às Pessoas Físicas e operações de crédito dirigidas às Pessoas Jurídicas; e (ii) os 15% de recursos remanescentes serão utilizados também para o reforço da base de capital, com o fim de suportar o crescimento inorgânico do Banco decorrente de eventuais aquisições de outras instituições no futuro.

A oferta reforçou a estrutura de capital do Banco para viabilizar sua estratégia de expansão e permitiu que fosse atingido índice de papéis em livre circulação (free float) de 30,4%, antecipando o cumprimento do compromisso assumido com a BM&FBovespa para listagem no Novo Mercado.

Os investidores institucionais ficaram com 48,3% do total ofertado e os investidores de varejo com 21,4%. O restante das ações (30,3%) foi destinado aos acionistas detentores do direito de preferência.

Com a oferta, observou-se a entrada de mais de 78 mil novos acionistas na base acionária do BB, com isso o BB fecha o ano com 389,7 mil acionistas. O maior acionista do BB é a União Federal que após a oferta reduziu sua participação de 65,3% para 59,2% do total do capital. A segunda maior participação é da Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil (PREVI) que manteve a participação de 10,4%.

A fatia de papéis do Banco em livre circulação (free float) ficou distribuída entre o capital estrangeiro, com 57,6%, as pessoas jurídicas, com 24,3%, e pessoas físicas com 18,1%. A participação de estrangeiros no capital do Banco aumentou de 0,9% em 2002 para 17,5% ao final de 2010.

A oferta pública levou as ações do Banco (BBAS3) a uma valorização de 12,7% em doze meses, tendo fechado o exercício de 2010 cotadas em R$ 31,42 (ajustadas por proventos), ou seja, mais que o dobro da média de mercado. Você encontrará mais informações sobre o desempenho dos papéis do Banco do Brasil no capítulo Nossos Negócios.



Distribuição Total de Free Float

 

Composição Acionária

     
 

Free Float

(%)


















Composição Acionária

(%)

Acionistas  Dez/09 Set/10 Dez/10
União Federal  65,3 59,2 59,2
 Ministério da Fazenda  53,7 51,9 51,9
 Fundo de Garantia a Exportação  8,9 4,9 4,9
 Fundo Garantidor PPP  2,3 - -
 Fundo de Investimento Caixa FGHAB  0,1 - -
 Fundo de Garantia para Construção Naval  - - -
 Fundo Garantidor para Investimentos  0,3 0,3 0,3
 Fundo Fiscal de Inv. e Estabilização  - 2,2 2,2
 Fundo de Garantia de Operações  - - -
 Caixa FI Garantia Construção Naval  - - -
Previ  10,4 10,4 10,4
BNDESPar  2,4 0,0 0,0
Ações em Tesouraria  0,1 0,0 0,0
Free Float  21,8 30,4 30,4
 Pessoas Físicas  5,4 5,9 5,5
 Pessoas Jurídicas  4,7 7,5 7,4
 Capital Estrangeiro  11,8 17,0 17,5
 Incorporação BNC  - - -
Total  100,0 100,0 100,0


Relacionamento


    Comunicação com o Mercado
O Banco do Brasil adota uma política de total transparência diante de seus públicos de interesse. A comunicação com o mercado é pautada não apenas pelo atendimento à legislação aplicável, mas pela divulgação das informações com o maior detalhamento possível, de forma confiável, tempestiva e sem perder de vista a sua qualidade.

O Banco disponibiliza ampla gama de relatórios e informações sobre a empresa através de diversos canais, especialmente em seu site de Relações com Investidores.

Com o intuito de manter a comunicação com seus acionistas, investidores e analistas de mercado, em 2010 o BB participou de 76 encontros com investidores e analistas no país, 13 conferências e promoveu 8 teleconferências de resultado com analistas e investidores, além dos mais de 600 atendimentos telefônicos. Em função da oferta pública de ações, bem como das emissões de dívida no exterior, foram realizados roadshows na Ásia, Europa e Américas do Sul e Norte. Realizamos 164 reuniões com 249 investidores no exterior.

Conheça o site Relações com Investidores do Banco do Brasil
Acesse www.bb.com.br/ri


Vale ressaltar que o uso de teleconferências também demonstra o compromisso do BB com o meio ambiente, uma vez que colabora para a redução de emissões de gases do efeito estufa, na medida em que privilegia os encontros virtuais, evitando, assim, o deslocamento físico dos participantes.

O BB realizou neste ano Reuniões APIMEC em 6 capitais brasileiras, apresentando os destaques da Instituição e promovendo o debate com seus stakeholders.

A unidade Relações com Investidores do BB está sempre à disposição dos acionistas e do mercado. Para isso, disponibiliza canais tais como o "Fale com a RI", espaço no site onde os acionistas e analistas podem fazer questionamentos e tirar dúvidas com a garantia de resposta em até 48 horas. O site de RI é também uma fonte de consulta relevante, com informações tais como Fatos Relevantes, Comunicados ao Mercado e Relatórios que tratam dos desempenhos dos negócios, séries históricas, entre outros. Já as agências são responsáveis pelo atendimento ao acionista em questões operacionais.


topo